sicnot

Perfil

Mundo

Trump acusa ex-diretor do FBI de cobardia por divulgar conversas entre os dois

Andrew Harnik

O Presidente dos Estados Unidos acusou o antigo diretor do FBI James Comey de cobardia por ter divulgado notas à imprensa que revelavam que o chefe de Estado lhe pediu para desistir de uma investigação sobre a Rússia.

"Eu acho que as fugas de informação vão ser bem mais prevalecentes do que qualquer um julgou possível", escreveu o Presidente da rede social Twitter, acrescentando: "Totalmente ilegal? Muito 'cobarde!'", acrescentou.


A mensagem divulgada esta manhã por Trump retoma as críticas já feitas ao antigo diretor da polícia de investigação federal dos Estados Unidos, e surge depois das declarações feitas no Congresso, na semana passada.


Apesar de muitos dos apoiantes republicanos de Trump terem considerado o testemunho credível, o Presidente chamou Comey de "mentiroso" e acusou-o de divulgar informações à imprensa.


Comey disse durante o seu testemunho que pediu a um amigo para divulgar o conteúdo das notas que escreveu sobre as conversas que manteve com o Presidente, considerando que essas notas não são nenhum segredo de Estado nem estão sujeitas a restrições à divulgação.

Lusa

  • A estreia de Centeno como líder do Eurogrupo
    1:56
  • Puigdemont chegou à Dinamarca e não foi detido

    Mundo

    A Justiça espanhola pediu à Dinamarca para ativar a ordem de detenção europeia contra Carles Puigdemont, que ignorou as ameaças de detenção e decidiu deslocar-se a Copenhaga para participar numa conferência. Entretanto na Catalunha, o presidente do parlamento propôs Puigdemont para voltar a dirigir o Governo Regional.

  • Eleição de Rio "embaraça" PCP e BE
    0:34

    Opinião

    Luís Marques Mendes considera que a eleição de Rui Rio veio criar embaraço ao PCP e Bloco de Esquerda. O comentador da SIC considera que a promessa de que venha a haver pactos de regime entre PS e PSD é motivo de preocupação para os parceiros do Governo.

    Luís Marques Mendes

  • O caso Assange é "um problema" para o Equador

    Mundo

    O Presidente equatoriano, Lenin Moreno, declarou no domingo que o asilo atribuído ao fundador do WikiLeaks, Julian Assange, pela embaixada do Equador em Londres desde 2012 é "um problema herdado" que constitui "mais que um aborrecimento".