sicnot

Perfil

Mundo

Procurador diz que foi demitido depois de recusar atender telefonema de Trump

Brendan McDermid/ Reuters

O ex-procurador federal de Nova Iorque revelou que foi demitido depois de ter recebido vários telefonemas desadequados do Presidente dos Estados Unidos. Em declarações à ABC News, Preet Bharara afirmou que considera que Donald Trump passou várias vezes a fronteira que separa o poder político da investigação criminal independente.

Preet Bharara, conhecido pelas investigações sobre corrupção e por processar mais de cem executivos de Wall Street, explicou que foi demitido depois de se recusar a atender um terceiro telefonema de Trump. A Casa Branca ainda não respondeu aos comentários do ex-procurador federal de Nova Iorque.

Bharara foi nomeado em 2009 por Barack Obama para o cargo de procurador em Manhattan. Desde que Trump o conheceu, no final de 2016, parecia que "tentava cultivar algum tipo de relacionamento mais próxima", mas depois de ter assumido a Presidencia dos EUA, Bharara considerou que seria "desadequado", sublinhou o procurador.

"O Presidente Obama não me telefonou nenhuma vez em sete ano e meio", afirmou. "O número de chamadas que eu esperava receber do Presidente seria zero porque tem de haver algum tipo de distância nas funções inerentes aos diferentes cargos", acrescentou Bharara.

A entrevista dada ao ABC News aconteceu poucos dias depois do polémico depoimento de James Comey no Senado.

O antigo diretor do FBI, que foi demitido em maio, acusou Trump de mentir e de o difamar. Comey disse ter entendido os pedidos de Trump para encerrar a investigação a um conselheiro como uma ordem. Comey confirmou ainda uma forte campanha do Governo russo para manipular as eleições norte-americanas.

Comey disse ainda durante o seu testemunho que pediu a um amigo para divulgar o conteúdo das notas que escreveu sobre as conversas que manteve com o Presidente, considerando que essas notas não são nenhum segredo de Estado nem estão sujeitas a restrições à divulgação.

Também na semana passada, Trump deu mais um passo para eliminar vestígios da Administração anterior no Departamento de Justiça, ao pedir a renúncia imediata de 46 procuradores nomeados por Barack Obama.

A Justiça americana divide-se territorialmente em 94 distritos, que contam com um procurador nomeado pelo Presidente por recomendação de um senador. É tradição que os procuradores ponham seu lugar à disposição do novo Presidente. Muitos dos nomeados por Obama deixaram o cargo após a posse de Trump a 20 de janeiro, mas 46 mantiveram-se no ativo, um deles foi Preet Bharara.

  • Confirmados dois novos casos de legionella

    Legionella

    Dois novos casos de legionella foram esta quarta-feira confirmados. A informação foi avançada em comunicado pela Direção-Geral da Saúde. Tratam-se de duas pessoas com mais de 80 anos, internadas no Hospital São Francisco Xavier e no Egas Moniz, ambas em situação clínica estável.

  • Comprar um carro em segunda mão sem ser enganado 
    8:44
  • O que aprendemos com secas anteriores?
    32:50

    País

    A água é um recurso essencial para todos os organismos vivos, comunidades e atividades económicas. Num país com situações de secas recorrentes, que tendem a ser agravadas pelas alterações climáticas, o que aprendemos com anteriores episódios de escassez de água? Como usar a água para que não falte no futuro? "Água Sob Pressão" foi o tema desta Grande Reportagem, de Carla Castelo (jornalista), Manuel Ferreira (Imagem), Gonçalo Freitas (Edição de imagem), Paulo Alves (Grafismo) e Isabel Mendonça (Produção), exibida na SIC em julho de 2012 (que também foi um ano de seca, ainda que menos grave do que a atual).

  • Quem é o novo Presidente do Zimbabué?
    2:15
  • Diminuem as hipóteses de salvar os tripulantes a bordo do submarino argentino
    3:09

    Mundo

    As hipóteses de salvar os tripulantes a bordo do submarino argentino, desaparecido há 8 dias, começaram a diminuir, uma vez que o chamado "tempo de segurança" já foi ultrapassado. A Marinha portuguesa está a acompanhar o caso do submarino que está desaparecido há oito dias. As hipóteses de salvar os tripulantes vão diminuindo.