sicnot

Perfil

Mundo

Deputado da oposição social-democrata na Turquia condenado a 25 anos de prisão

Murad Sezer

Um tribunal turco condenou esta quarta-feira a 25 anos de prisão por "revelação de segredos do Estado e espionagem" o deputado Enis Berberoglu, o primeiro parlamentar da oposição social-democrata sentenciado a uma pena deste género.

Deputado do partido Republicano do Povo (CHP) desde junho de 2015, Berberoglu foi considerado culpado de transmitir aos 'media' dados sobre um suposto envio de armamento da Turquia para a Síria em 2014.

O CHP, principal partido da oposição, considerou a sentença "política" e própria de uma ditadura, e anunciou que vai recorrer, enquanto Berberoglu era enviado para a prisão.

O deputado foi condenado por "espionagem militar e política" e "revelação de segredos de Estado", por ter transmitido ao diário Cumhuriyet material de vídeo provenientes das forças de segurança turcas.

Nas imagens, publicadas por este jornal em maio de 2015, são visíveis armas em um dos camiões escoltados pelos serviços secretos turcos e que oficialmente transportavam ajuda humanitária para a Síria.

O tribunal também está a julgar por este caso os jornalistas Can Dündar e Erdem Gül, responsáveis do Cumhuriyet no momento da publicação, apesar de o primeiro se ter exilado na Alemanha.

Dündar, Gül e Berberoglu estão também indiciados, ao divulgarem estes dados, de colaboração com a confraria do clérigo Fethullah Gülen, que o Governo de Ancara acusa de ter coordenado o fracassado golpe militar de julho de 2016.

"Os que decidiram o resultado deviam ter vergonha. Transformaram nisto algo que era uma notícia do jornal. Sei que não me esquecerei, e não os esquecerei", disse Berberoglu antes de ser transferido para a prisão.

O porta-voz do CHP, Engin Altay, acusou os juízes de pensar unicamente em "agradar ao ditador", numa referência ao Presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, que prometeu não descansar até ver entre as grades da prisão os responsáveis por estas revelações.

"É algo que apenas pode ocorrer entre as ditaduras fascistas mais óbvias", denunciou Altay, que manifestou a esperança de que Erdogan seja "um dia julgado como criminoso de guerra num tribunal internacional".

O CHP convocou uma reunião de urgência para decidir as medidas a tomar.

Apesar de ser a primeira vez que um deputado social-democrata é enviado para a prisão, uma dezena de deputados da formação de esquerda e pró-curda Partido Democráticos dos Povos (CHP) permanecem em prisão preventiva desde novembro de 2016.

Berberoglu não ocupava as funções de deputado no momento das revelações do Cumhuriyet mas já era um personagem importante no CHP, com a responsabilidade das relações com os meios de comunicação social.

Lusa

  • Erdogan manda prender presidente da Amnistia Internacional

    Mundo

    O Presidente turco Tayyip Erdogan mandou prender o presidente da Amnistia Internacional na Turquia. O responsável pela organização tinha sido detido na terça-feira pelas autoridades por suspeita de ligações ao movimento do clérigo Fethullah Gülen, e acabou por ficar em prisão preventiva ontem à noite.