sicnot

Perfil

Mundo

Quatro mortos num tiroteio em São Francisco

Um tiroteio num armazém e centro de atendimento da empresa de distribuição UPS fez esta quarta-feira quatro vítimas mortais em São Francisco, nos Estados Unidos, incluindo o atirador, adiantou a Associated Press (AP), citando as autoridades.

Em conferência de imprensa, a polícia de São Francisco referiu que quatro pessoas morreram no decurso do tiroteio, incluindo o atirador, um trabalhador da UPS, que disparou contra si próprio.

Segundo o sargento Toney Chaplin, da polícia de São Francisco, o incidente provocou também dois feridos.A polícia não determinou ainda o motivo na origem dos acontecimentos.

Uma testemunha terá relatado ao jornal local que o atirador abriu fogo contra três pessoas por volta das 09h00 locais (18h00 em Lisboa).

O porta-voz da UPS, Steve Gaut, disse à AP que o atirador abriu fogo dentro das instalações antes de os motoristas da empresa saírem para as entregas diárias de encomendas.

Testemunhas que vivem nas proximidades do armazém da UPS relataram que ouviram entre sete a oito tiros disparados de seguida e viram um grupo de trabalhadores da empresa a fugir do local.

Segundo Raymond Deng, um morador ouvido pela AP, outro grupo de cerca de dez funcionários procurou refugiar-se no telhado do armazém, onde ficou até à chegada da polícia, que tomou o edifício de assalto.

O armazém fica localizado no bairro de Potrero Hill, a cerca de quatro quilómetros do centro financeiro de São Francisco, segundo a EFE.

Brent Andrew, porta-voz do Zuckerberg San Francisco General Hospital, disse à AP que na unidade hospitalar deram entrada várias vítimas do tiroteio, não precisando quantas, nem adiantando pormenores sobre a gravidade do seu estado de saúde.

Com Lusa

  • O que vai mudar nos recibos verdes
    2:55

    Economia

    Os trabalhadores independentes vão descontar menos para a Segurança Social já no próximo ano. A taxa vai descer dos 29,6% por cento para os 21,4%. A descida será compensada por um aumento das contribuições pagas pelos patrões. Há também alterações em caso de desemprego e o subsídio de doença passa a ser pago ao fim de 10 dias em vez de 31.

  • Bebé nasce com coração fora do peito e sobrevive
    2:06