sicnot

Perfil

Mundo

Ivanka Trump não responde a pedido de ajuda de ONG para libertar ativistas chineses

POOL New

A organização não-governamental China Labor Watch (CLW) apelou a Ivanka Trump, filha do Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, para que ajude na libertação de três ativistas detidos na China, mas não obteve qualquer resposta.

Os três homens foram detidos, enquanto investigavam as condições laborais numa empresa fabricante de sapatos para a marca de Ivanka Trump e são acusados da venda de segredos industriais para o exterior.

"Estamos muito dececionados por não termos recebido uma resposta sua", afirmou o diretor da ONG, Li Qiang, num comunicado difundido na quinta-feira, juntamente com uma cópia da carta endereçada à filha de Donald Trump.

A organização, que nos últimos 17 anos tem investigado as condições de trabalho dos fornecedores chineses de algumas das empresas mais conhecidas a nível mundial, explicou que os ativistas Li Zhao, Su Heng e Hua Haifeng estão detidos e incontactáveis desde finais de maio.

Na carta é referido que esta é a primeira vez que os investigadores da organização enfrentam acusações criminais, uma situação que estará relacionada com o facto de as fábricas produzirem para a marca de Ivanka Trump.

"Apreciaríamos que usasse a sua influência para pedir a libertação dos nossos investigadores", lê-se na missiva. Li Qiang apelou, ainda, a Ivanka Trump para que exerça pressão, no sentido de "melhorar as condições de trabalho nas fábricas ligadas à sua marca".

A mulher de um dos detidos publicou, na quinta-feira, uma carta que foi rapidamente censurada nas redes sociais chinesas, em que denuncia ter sido alvo de interrogatórios de até quatro horas, ameaças e perseguições. "Sinto-me aterrorizada, assustada, preocupada e desamparada", lamentou a mulher, que revelou encontrar-se numa situação de quase prisão domiciliária, com a polícia a vigiar as imediações da sua casa.

Lusa

  • Vidas de fogo
    12:04

    Reportagem Especial

    Este ano durante o período mais crítico dos fogos, estão no terreno quase dez mil operacionais, a maioria bombeiros voluntários. A Reportagem Especial da SIC deste domingo "Vidas de fogo" dá a conhecer histórias de bombeiros que sobreviveram às chamas enquanto serviam o país.

  • Portugal "precisa avançar no trabalho" para reduzir crédito malparado
    1:36

    Economia

    Bruxelas recomenda e insiste que o Governo português avance no trabalho para resolver o crédito malparado. Em entrevista à SIC e ao Expresso, o vice-Presidente da Comissão para o Euro e Estabilidade Financeira, Valdis Dombrovskis, adianta que Bruxelas está também a preparar um Plano de Ação ao nível europeu.

    Entrevista SIC/Expresso

  • Líder do Daesh abatido durante fuga

    Daesh

    Um líder do Daesh e o assistente foram abatidos pela polícia iraquiana, em Mossul. A notícia é avançada pela agência EFE que esclarece que os dois homens terão sido mortos enquanto fugiam do Oeste para Este da cidade iraquiana através do rio Tigre.