sicnot

Perfil

Mundo

Um ferido e sete desaparecidos em colisão de navios dos EUA e das Filipinas

Um navio da marinha norte-americana chocou esta sexta-feira contra um navio de mercadorias japonês, ao largo do mar do Japão. Um oficial de defesa dos Estados Unidos da América confirmou que existem inundações em três compartimentos do navio e vários feridos.

Numa breve declaração escrita, a base naval norte-americana no Pacífico, Pacific Fleet, situada no Hawai, disse que a Marinha solicitou assistência à guarda-costeira japonesa e revelou que o incidente está sob investigação, tendo sido aberto um inquérito.

A cadeia de televisão japonesa NHK avançou que sete membros da tripulação do navio de guerra americano estão desaparecidos, não havendo, para já, registo de vítimas mortais.

Imagens captadas pela cadeia NHK num helicóptero mostravam a retirada de um tripulante a partir do convés do navio, assim como vários membros da tripulação presentes no convés.

Uma fonte militar norte-americana disse à AP que há três compartimentos do "USS Fitzgerald" que estão a inundar.

A extensão dos estragos nos navios - o destroyer norte-americano "USS Fitzgerald" e o navio da marinha mercante filipino "ACX Crystal" - está ainda por determinar.

A colisão aconteceu por volta das 02:30 de sábado locais (18:30 de sexta-feira em Lisboa), quando o navio norte-americano navegava a cerca de 56 milhas náuticas a sudoeste da cidade japonesa de Yokosuka, onde os Estados Unidos da América (EUA) têm uma base naval, precisava o comunicado da base naval norte-americana, segundo a agência France-Presse (AFP).

Lusa

  • Marine devolve bandeira do Japão 73 anos depois 
    2:13

    Mundo

    Setenta e três anos depois da batalha mais sangrenta do Pacífico, um veterano dos Estados Unidos cumpriu uma promessa pessoal. Marvin Strombo devolveu à família a bandeira da sorte de um soldado japonês, morto em 1944, em Saipan, na II Guerra Mundial. 

  • Autoridades usam elefantes para resgatar pessoas das cheias na Ásia
    1:31

    Mundo

    Mais de 215 pessoas morreram nas inundações que estão a devastar o centro da Ásia, e estima-se que três milhões tiveram de abandonar as casas. As autoridades estão a usar elefantes para resgatar locais e turistas das zonas mais afetadas e avisam que há dezenas de pessoas desaparecidas.