sicnot

Perfil

Mundo

Rodman regressa de Pyonyang sem revelar se teve encontro com Kim Jong-un

Rodman regressa de Pyonyang sem revelar se teve encontro com Kim Jong-un

O ex-jogador da NBA Dennis Rodman terminou hoje uma visita de cinco dias à Coreia do Norte, mas não revelou se se encontrou com o líder norte-coreano Kim Jong-un.

."Foi uma viagem muito boa", afirmou Rodman em declarações à impressa no aeroporto internacional de Pequim, depois de aterrar de um voo vindo de Pyongyang.

O ex-jogador de basquetebol não quis dar mais pormenores sobre a sua quinta visita ao país, e ao ser questionado sobre se teve um encontro com Kim Jong-un, respondeu:

"É uma boa pergunta... Saberão mais tarde".

Rodman chegou a Pyongyang na terça-feira com o objetivo de "abrir a porta" ao diálogo com o país, segundo o próprio.A sua visita aconteceu num momento de particular tensão entre Pyongyang e Washington devido aos regulares testes de armamento norte-coreanos.

Rodman viajou para a Coreia do Norte como cidadão privado e não foi em representação oficial, segundo assegurou o Departamento de Estado norte-americano.

Horas depois da sua chegara à Coreia do Norte, o regime libertou Otto Warmbier, um estudante universitário norte-americano que tinha sido condenado a 15 anos de prisão com trabalhos forçados por tentar roubar um poster de propaganda.

Warmbier esteve confinado durante 17 meses, aparentemente entrou em coma pouco depois de ter sido preso.

Pyongyang afirmou na quarta-feira que decidiu libertá-lo por "razões humanitárias".

As autoridades, tanto em Washington como em Pyongyang, afirmaram que Dennis Rodman não teve qualquer papel na libertação do estudante.

Em Pyongyang, Rodman ofereceu ao ministro do Desporto norte-coreano uma cópia do livro do presidente norte-americano, Donald Trump, "The Art of the Deal".

  • Ministra emocionou-se no Parlamento
    2:26

    Tragédia em Pedrógão Grande

    A ministra da Administração Interna disse esta quarta-feira no Parlamento que está, desde a primeira hora, a recolher, analisar e cruzar todos os dados do incêndio de Pedrógão Grande. Constança Urbano de Sousa emocionou-se diante dos deputados e admitiu que tem ainda muitas dúvidas sobre o que aconteceu. Foi pedido um estudo independente ao funcionamento do sistema de comunicações de emergência e uma auditoria à Secretaria-Geral da Administração Interna, a entidade gestora do SIRESP. A ministra explicou porquê.

  • "O que mais tem havido nesta altura são respostas precipitadas"
    7:21

    Opinião

    Foi um "debate contido" o de hoje, no Parlamento, sobretudo no frente-a-frente entre António Costa e Passos Coelho, na opinião de Bernardo Ferrão. O subdiretor de informação da SIC sublinha uma declaração "mortal" do primeiro-ministro, quando este disse que "ninguém quer respostas precipitadas". Por outro lado, a comissão técnica independente pedida pelo PSD pode virar-se contra o próprio partido.

    Bernardo Ferrão

  • NotPetya: Lourenço Medeiros explica o novo ciberataque global
    2:44

    Mundo

    A Ucrânia está a ser seriamente afetada por um novo ataque informático. Algumas empresas de grande dimensão estão a ser prejudicadas, agravando a dimensão global do ataque, o qual não parece ser dirigido a ninguém em concreto. Ontem, nas primeiras horas do ataque, não parava de crescer o número de vítimas.

  • Caricaturas de Trump invadem capital do Irão

    Mundo

    O Irão está a organizar um concurso internacional de caricaturas do Presidente norte-americano Donald Trump. Pelas ruas de Teerão já vão surgindo algumas imagens alusivas ao festival que vai realizar-se no próximo mês de julho.

  • De onde vem o dinheiro de Isabel II?

    Mundo

    A rainha Isabel II vai ser aumentada - pelo exercício das suas funções -, em 2018, para 82,2 milhões de libras (93,5 milhões de euros). Este valor é pago pelo Estado britânico. Contudo, esta não é a única fonte de rendimento da rainha de Inglaterra. Isabel II também recebe pelas terras, casas e empresas que tem espalhadas pelo Reino Unido.

  • Companhia aérea obriga deficiente físico a entrar no avião sem ajuda

    Mundo

    Um homem com uma deficiência física que o obriga a andar numa cadeira de rodas foi obrigado a subir sozinho as escadas de um avião da companhia aérea Vanilla Air. Hideto Kijima deparou-se com a situação quando estava a embarcar da ilha de Amami para Osaka, no Japão, com vários amigos que foram proibidos de o ajudar.