sicnot

Perfil

Mundo

Líder do Partido Socialista demite-se após derrota histórica

Benoit Tessier

O líder do Partido Socialista francês, Jean-Christophe Cambadélis, anunciou este domingo a sua demissão, minutos depois de as primeiras projeções mostrarem uma derrota histórica do seu partido na segunda volta das eleições legislativas.

"Há que construir uma nova oferta política das esquerdas para contrariar o neoliberalismo e o nacionalismo", disse Cambadélis, que referiu que uma direção coletiva ficará agora responsável pelo partido.

De acordo com as projeções difundidas ao início da noite pela imprensa francesa, o Partido Socialista (PS), que até agora detinha a maioria na Assembleia Nacional (com um total de 577 lugares), conseguirá eleger entre 27 e 49 deputados, juntamente com os seus aliados ecologistas.

"A esquerda tem de mudar, quer a forma quer o fundo, quer as suas ideias quer as suas organizações. Ela deve abrir um novo ciclo", declarou o líder socialista, para quem é necessário "repensar as raízes do progressismo, que são o estado de bem-estar e a extensão constante dos direitos".

"Tomo esta decisão sem amargura ou raiva, consciente do meu dever e do momento crucial que a esquerda atravessa ", disse.

Cambadélis assinalou que o "triunfo incontestável" do partido do Presidente, Emmanuel Macron (A República Em Marcha!), e a "derrota inquestionável" da esquerda e "sem contestação" do PS francês devem abrir uma reflexão.

"Os franceses optaram por dar uma oportunidade ao Presidente e não deixaram opções aos seus adversários. Tem todo o poder. Mas o seu triunfo esconde um lado artificial (...) porque a sua imponente maioria não reflete a realidade social do país", afirmou. Cambadélis pediu a Macron que "escute o país" e que não se afaste do "diálogo social".

O partido do Presidente francês, Emmanuel Macron, terá obtido hoje a maioria absoluta, entre 355 e 425 assentos, num total de 577, segundo as sondagens à boca da urna.

A abstenção atinge mais de 56%, um recorde para uma segunda volta das legislativas.

O partido de direita Os Republicanos terá obtido 97 a 130 lugares e o Partido Socialista entre 27 e 49, enquanto a extrema-direita garantiu a eleição de quatro a oito deputados e a esquerda radical (França Insubmissa e Partido Comunista) um total de 10 a 30 assentos.

Lusa

  • Os likes dos candidatos às autárquicas no Facebook
    4:00

    Autárquicas 2017

    Se há mais de 5 milhões de portugueses no Facebook, é natural que as autárquicas também passem pela rede social mais usada no país e no mundo. A SIC apresenta-lhe os 10 candidatos cujas páginas têm mais seguidores e, para a comparação ser mais justa, os que têm mais seguidores em Portugal - porque há também quem estranhamente tenha milhares de fãs em países como Egito, Filipinas ou Vietname.

  • Sondagem prevê vitória de Basílio em Sintra e de Bernardino em Loures
    3:03
  • Menina mexicana encontrada viva sob os escombros nunca existiu
    2:24

    Mundo

    As autoridades mexicanas desmentiram a existência de uma menina de 12 anos sob os escombros da escola da capital. Frida Sofia afinal não existe e ainda ninguém assumiu quem fez circular a notícia. O sismo de magnitude 7,1 fez mais de 290 mortos e mais de 40 pessoas continuam desaparecidas.