sicnot

Perfil

Mundo

Líder do Partido Socialista demite-se após derrota histórica

Benoit Tessier

O líder do Partido Socialista francês, Jean-Christophe Cambadélis, anunciou este domingo a sua demissão, minutos depois de as primeiras projeções mostrarem uma derrota histórica do seu partido na segunda volta das eleições legislativas.

"Há que construir uma nova oferta política das esquerdas para contrariar o neoliberalismo e o nacionalismo", disse Cambadélis, que referiu que uma direção coletiva ficará agora responsável pelo partido.

De acordo com as projeções difundidas ao início da noite pela imprensa francesa, o Partido Socialista (PS), que até agora detinha a maioria na Assembleia Nacional (com um total de 577 lugares), conseguirá eleger entre 27 e 49 deputados, juntamente com os seus aliados ecologistas.

"A esquerda tem de mudar, quer a forma quer o fundo, quer as suas ideias quer as suas organizações. Ela deve abrir um novo ciclo", declarou o líder socialista, para quem é necessário "repensar as raízes do progressismo, que são o estado de bem-estar e a extensão constante dos direitos".

"Tomo esta decisão sem amargura ou raiva, consciente do meu dever e do momento crucial que a esquerda atravessa ", disse.

Cambadélis assinalou que o "triunfo incontestável" do partido do Presidente, Emmanuel Macron (A República Em Marcha!), e a "derrota inquestionável" da esquerda e "sem contestação" do PS francês devem abrir uma reflexão.

"Os franceses optaram por dar uma oportunidade ao Presidente e não deixaram opções aos seus adversários. Tem todo o poder. Mas o seu triunfo esconde um lado artificial (...) porque a sua imponente maioria não reflete a realidade social do país", afirmou. Cambadélis pediu a Macron que "escute o país" e que não se afaste do "diálogo social".

O partido do Presidente francês, Emmanuel Macron, terá obtido hoje a maioria absoluta, entre 355 e 425 assentos, num total de 577, segundo as sondagens à boca da urna.

A abstenção atinge mais de 56%, um recorde para uma segunda volta das legislativas.

O partido de direita Os Republicanos terá obtido 97 a 130 lugares e o Partido Socialista entre 27 e 49, enquanto a extrema-direita garantiu a eleição de quatro a oito deputados e a esquerda radical (França Insubmissa e Partido Comunista) um total de 10 a 30 assentos.

Lusa

  • Portugueses e espanhóis protestam em Salamanca contra mina de urânio
    0:38

    País

    O Bloco de esquerda desafia o Governo português a exigir às autoridades espanholas uma avaliação do impacto ambiental da mina de urânio a 40 quilómetros da fronteira portuguesa. Este caso está gerar contestação entre os ambientalistas. Várias associações portuguesas participaram este sábado numa manifestação em Salamanca. A Quercus diz-se preocupada com o impacto da mina de urânio no território português.

  • Assalto a Tancos e roubo de armas da PSP podem estar relacionados
    1:24

    País

    O assalto a Tancos e o roubo de três armas da PSP, recuperadas na semana passada, podem estar relacionados. O semanário Expresso avança hoje que há suspeitos de terem participado nos dois assaltos e o grupo, ou parte dele, atua principalmente do Algarve, com possíveis ligações a outras organizações espalhadas pelo país ou até transacionais.

  • As gravações que provam que as autoridades conheciam o perfil violento de Nikolas Cruz
    1:35