sicnot

Perfil

Mundo

Human Rights Watch denuncia isolamento do ex-Presidente Morsi do Egito

Stringer Egypt

O ex-Presidente egípcio Mohamed Morsi continua praticamente isolado na prisão, sem visitas de advogados ou de familiares, apesar da deterioração do estado de saúde, denunciou hoje a Human Rights Watch.

A organização de defesa de direitos humanos disse que Morsi recebeu apenas duas "breves visitas" de familiares e advogados desde que foi destituído do cargo de Presidente na sequência do golpe de Estado, em 2013.

Segundo a Human Rights Watch as condições em que Morsi se encontra preso vão contra o direito à defesa das inúmeras acusações judiciais, assim como podem contribuir para o agravamento do estado de saúde do antigo chefe de Estado.

Familiares do ex-Presidente disseram à Human Rights Watch que, na primeira semana de junho, o político, de 68 anos, desmaiou duas vezes e sofreu um ataque de diabetes.
O diretor-adjunto da Human Rights Watch para o Médio Oriente e Norte de África refere em comunicado que a situação em que se encontra Mohamed Morsi é um exemplo "das terríveis condições em que se encontram milhares de presos políticos no Egito".

A mulher e uma filha de Morsi foram autorizadas a visitar o ex-Presidente durante 30 minutos no passado dia 04 de junho, pela primeira vez, desde novembro de 2013, mas os restantes quatro filhos não foram autorizados a visitar o pai.

No dia 04 de junho, as autoridades também autorizaram a entrada de um advogado -- durante 10 minutos -- tratando-se da primeira visita de caráter judicial desde janeiro de 2015.
Morsi foi condenado à morte por, alegadamente, ter tentado fugir, tendo sido depois sentenciado a cadeia perpétua, que no Egito corresponde a 25 anos de prisão, por conspiração e espionagem.

Ambas as acusações foram anuladas depois de os advogados terem apresentado um apelo a um tribunal do Cairo que ordenou a repetição do julgamento.

Morsi, três jornalistas e outras sete pessoas foram também condenados num outro caso de espionagem relacionado com a entrega ao Qatar de documentos sobre segurança de Estado, em 2012.

Um outro tribunal condenou Morsi a 20 anos de cadeia no caso sobre uso de violência policial que causou a morte a vários manifestantes durante os protestos de 2012, frente ao Palácio Presidencial de Itihadiya, no Cairo, e que marcaram o início do afastamento do Presidente.

Morsi é membro da Irmandade Muçulmana, organização que conseguiu o poder após a vitória nas eleições de 2012 no Egito, tendo sido declarada como organização terrorista após o golpe de Estado, um ano depois.

Lusa

  • "Serei o Presidente de todos os angolanos"
    2:06
  • Costa de Metro de Odivelas para Lisboa para relembrar corrida entre burro e Ferrari
    2:55

    Autárquicas 2017

    António Costa começou hoje o dia de campanha em Odivelas, para uma viagem de Metro até Lisboa, em que recordou a célebre corrida entre um burro e um Ferrari que protagonizou em 1993 quando foi canditado do PS à Câmara de Loures. Foi nesta cidade, onde ontem à noite, que desferiu um violento ataque a Pedro Passos Coelho, acusando-o de transformar o PSD num partido que não é digno de um Estado democrático.

  • O aeroporto de Beja, um "elefante branco" na planície alentejana
    4:33
  • Supervisão bancária origina novo diferendo entre Carlos Costa e Governo
    0:57

    Economia

    Reacendeu-se a guerra entre o Governo e o governador do Banco de Portugal. Em conferência na sede do banco, esta segunda-feira, Carlos Costa deixou uma crítica indireta ao novo modelo de supervisão bancária. O ministro das Finanças, Mário Centeno, não gostou e exigiu a Carlos Costa que se retratasse, mas o governador recusou-se.

  • Paciente há 15 anos em estado vegetativo consegue seguir objetos e mexer a cabeça

    Mundo

    Um homem de 35 anos, que ficou em estado vegetativo após um acidente de viação há 15 anos, deu sinais de consciência depois de lhe ter sido aplicada uma nova técnica de estimulação nervosa. Cirurgiões implantaram no paciente um pequeno aparelho que estimula o nervo vago, responsável pela ligação nervosa entre o cérebro e o resto do corpo. A intervenção aconteceu em França e a descoberta foi publicada na revista científica Current Biology.