sicnot

Perfil

Mundo

Investir nas creches para aumentar o potencial e reduzir desigualdades

Uma melhor educação na primeira infância aumenta as hipóteses das crianças desenvolverem todo o seu potencial, ao mesmo tempo que reduz as desigualdades sociais, revela um relatório da OCDE, sublinhando os grandes avanços nesta área que os países têm feito nos últimos anos.

Os serviços de educação das crianças mais pequenas - creches e jardins de infância - devem ter programas educativos articulados para melhorar as capacidades cognitivas, as competências sócio-emocionais e a aquisição de conhecimentos, nomeadamente nos meios mais desfavorecidos, diz a OCDE.

São estas estruturas que mais contribuem para a igualdade na aquisição de conhecimentos e para a melhoria da mobilidade social.

No âmbito dos resultados do PISA 2015, que avalia a literacia de jovens de 15 anos de todo o mundo nas áreas da Leitura, Matemática e Ciências, conclui-se que aqueles que tiveram acesso a uma educação pré-escolar tiveram melhores resultados.

A intervenção precoce favorece também a adoção de comportamentos sãos, por exemplo, as crianças com menos de três anos em 2005 inscritas no pré-escolar foram os jovens de 2015 com menor taxa de obesidade.

Aumento do investimento no pré-escolar

Em 2013, o investimento nestas estruturas representou, em média, 0,8% do PIB nos 35 países da OCDE.

Cerca de um terço das crianças com menos de três anos estavam inscritas na creche - com taxas entre os 10% na República Checa, México e Eslováquia até 50% nos países nórdicos (exceto Finlândia e Suécia), Bélgica, França, Luxemburgo e Holanda.

Entre 2005 e 2014, as taxas de inscrição aumentaram e ultrapassaram os 15%, como são os casos de Portugal, Áustria, Chile, Israel, Letónia, México, Polónia, Rússia e Eslovénia.

Integração numa única tutela

Mais de metade dos países da OCDE têm um sistema integrado no que respeita à tutela das creches e jardins de infância - geralmente o Ministério da Educação - com programas educativos articulados - como são exemplos Austrália, Áustria, Chile, Dinamarca, Estónia, Finlândia, Alemanha, Nova Zelândia, Suécia ou Inglaterra.

Outros, como Portugal, Bélgica, França, México ou Estados Unidos, têm dois sistema distintos, com as creches geralmente sob a tutela dos Assuntos Social e os jardins de infância sob a alçada da Educação.

A OCDE defende que o sistema integrado numa única tutela e os programas educativos desde a idade de um ano até ao fim do jardim de infância "são aqueles que têm melhores resultados", afirmou Eric Charbonnier, um dos autores do estudo em conferência de imprensa.

Depois de investir na rede de creches, é a vez de investir nos professores

A OCDE sublinha que a maioria dos governos dos países que a constituem aumentou o investimento na rede pré-escolar, pelo que agora é altura de investir nas condições dadas aos professores

  • Passos nega que resultado das autárquicas ponham em causa liderança do PSD
    7:46
  • PS e PSD trocam acusações sobre Tancos
    1:18
  • Homens vítimas de violência doméstica
    31:17
  • Marcelo mergulha na baía de Luanda
    0:45
  • Marcelo garante que relações com Angola "estão vivas"
    1:50

    País

    Marcelo Rebelo de Sousa sublinhou esta segunda-feira as boas relações entre Portugal e Angola. À chegada a Luanda para a posse do novo Presidente angolano João Lourenço, o chefe de Estado português aproveitou para tomar um banho de mar.

  • Défice chegou aos 2.034 milhões em agosto
    1:51

    Economia

    O défice do Estado caiu 1.900 milhões de euros até agosto, em comparação com o ano passado. A recuperação da economia ajudou a baixar o défice, com mais receitas e impostos acima do esperado. Já a despesa pública ficou praticamente inalterada e os pagamentos do Estado em atraso subiram.

  • Morreu a egípcia que chegou a pesar 500 quilos

    Mundo

    A egípcia Eman Ahmed Abd El Aty, de 37 anos, que chegou a pesar 500 quilos, morreu num hospital de Abu Dabi, nos Emirados Árabes Unidos, devido a complicações cardíacas na sequência do seu excesso de peso.