sicnot

Perfil

Mundo

HRW qualifica de "calamidade" primeiro ano de Duterte nas Filipinas

Erik de Castro

A Human Rights Watch (HRW) qualificou hoje o primeiro ano de mandato do Presidente das Filipinas, Rodrigo Duterte, de "calamidade" para os direitos humanos devido à 'guerra' contra a droga, à qual atribuiu 7.000 mortes.

A "assassina" campanha antidroga tem "reduzido drasticamente o respeito pelos direitos básicos" nas Filipinas desde a investidura de Rodrigo Duterte em 30 de junho do ano passado, denunciou a organização não-governamental (ONG) de defesa dos direitos humanos em comunicado.


A HRW apontou que, segundo dados oficiais, entre as vítimas da campanha contra a droga figuram 3.116 supostos toxicodependentes e traficantes abatidos pelas forças de segurança depois de alegadamente terem oferecido resistência durante as operações.


A ONG atribuiu as restantes mortes a ações de civis ou grupos de vigilantes, apoiadas na impunidade oferecida por Duterte. A maioria destes casos foi oficialmente classificada como "homicídios sob investigação".


A HRW também culpou o Governo pela perseguição de que são alvo os que se mostram críticos da campanha antidroga, citando o exemplo da senadora Leila de Lima.


Em paralelo, a cruzada contra as drogas "tem agravado as já deploráveis condições das instalações penitenciárias", de acordo com a HRW.


As prisões das Filipinas, cuja capacidade é de 20.399 pessoas, acolhem atualmente 132.000 reclusos, segundo dados oficiais, com a sobrelotação a ser atribuída pela ONG ao aumento de detenções relacionadas com crimes de droga.


Rodrigo Duterte cumpre na sexta-feira um ano de mandato, durante o qual foi alvo de várias denúncias por violações dos direitos humanos, apesar de manter uma elevada popularidade nas Filipinas, com uma taxa de aprovação próxima dos 80%.


O Presidente filipino prometeu 'limpar' o país dos traficantes e consumidores de estupefacientes, considerando que as drogas, particularmente a metanfetamina conhecida localmente como 'shabu', estão a destruir as novas gerações das Filipinas.


Desde que Rodrigo Duterte chegou ao poder, os delitos relacionados com droga diminuíram 30%, de acordo com as autoridades.
Mais de um 1,2 milhões de traficantes e toxicodependentes entregaram-se à polícia e mais de 65.000 suspeitos foram detidos, acrescentaram.

Lusa

  • "Cada drama, cada problema, cada testemunho, impressiona muito"
    1:55
  • Clínica veterinária em Tondela recebeu dezenas de animais feridos nos fogos
    2:57
  • Temperaturas sobem até ao final do mês
    1:09

    País

    O tempo não dá tréguas e, até ao final do mês, as temperaturas vão atingir valores acima do normal para esta época do ano. As temperaturas máximas vão subir entre os 25 e os 32 graus. O risco de incêndio aumenta a partir desta segunda-feira em todo o país e os meios aéreos, viaturas, operacionais e equipas de patrulha vão ser reforçados.

  • A história por detrás da fotografia que correu (e impressionou) o Mundo

    Mundo

    Depois dos incêndios da semana passada na Galiza, começou a circular na internet e nas redes sociais a imagem de uma cadela que alegadamente levava a sua cria carbonizada na boca. Contudo, a cadela é na verdade macho e chama-se Jacki. Esta é a história do cão que passou os dias após os fogos a recolher animais mortos para os enterrar num campo perto de uma igreja, em Coruxo, Vigo.

    SIC

  • Quando o cão de Macron fez chichi no gabinete do Presidente francês
    0:31
  • 245 saltam de ponte de 30m no Brasil para Recorde do Guiness
    1:56
  • Antigos presidentes dos EUA angariam 26 milhões para vítimas dos furacões
    0:58

    Mundo

    Os cinco antigos presidentes dos Estados Unidos da América ainda vivos juntaram-se para ajudar as vítimas dos furacões. Bill Clinton e Barack Obama lembraram as vítimas dos furacões e elogiaram o espírito solidário dos norte-americanos. Os antigos presidentes norte-americanos lançaram o apelo no início do mês passado e já conseguiram angariar cerca de 26 milhões de euros.