sicnot

Perfil

Mundo

O biquíni faz 71 anos

O biquíni foi lançado a 5 de julho de 1946 e o local escolhido foi a Piscina Molitor, situada em Paris. Micheline Bernardini de 18 anos, na altura dançarina no Casino da capital francesa, foi a única mulher que aceitou o desafio proposto por Louis Réard de desfilar com uma criação inspirada no Atol de Bikini, nas ilhas Marshall, no Pacífico.

Inicialmente a ideia não foi aceite por todos, muitos consideravam um escândalo a mulher ir à praia vestida com apenas duas peças de roupa. O Vaticano considerou um pecado e o biquíni chegou mesmo a ser proibido em praias de Espanha, Itália e Austrália.

Micheline Bernardini na apresentação no biquíni, na Piscina Molitor em Paris, França.

Micheline Bernardini na apresentação no biquíni, na Piscina Molitor em Paris, França.

A partir de meados da década de 1950, o fato de banho de duas peças começou a ser usado por muitas mulheres, principalmente no cinema. Brigitte Bardot, Marilyn Monroe e Raquel Welch usaram a peça de vestuário dentro e fora do grande ecrã, de forma a ajudar a mudar as mentalidades femininas.

Mais de 70 anos depois, podemos concluir que o biquíni já não é apenas uma tendência, é uma certeza. Com folhos, lantejoulas, liso, às riscas ou "pequenino às bolinhas amarelas", como cantavam os Onda Choc em 1990. Uma peça que não deve, tão cedo, sair de moda.

  • Marcelo pede "serenidade e cabeça fria" no debate político
    1:29
  • Seca agrava prejuízos agrícolas no Alentejo
    2:11
  • Estudantes universitários poderiam estar a pagar propinas mais baixas
    2:02

    País

    Os alunos universtários poderiam estar a pagar propinas mais baixas do que pagam atualmente. A situação foi denunciada pela Federação Académica do Porto, que diz que os estudantes estão a pagar cerca de 100 euros a mais do que deviam. O INE admite, num documento enviado ao Governo, que pode existir um método melhor para o cálculo destes valores.

  • Várias casas evacuadas devido a chuvas fortes na Alemanha
    0:54
  • Liberdade de movimento entre UE e Reino Unido termina em março de 2019

    Brexit

    A liberdade dos cidadãos europeus para viver e trabalhar no Reino Unido vai terminar, em março de 2019. O Governo britânico pediu esta quarta-feira um estudo de um ano sobre a migração europeia no país, de modo a ajudar no sistema de imigração que será implementado. A avaliação vai estar concluída em setembro, de 2018, seis meses antes da conclusão do Brexit.