sicnot

Perfil

Mundo

Marcha dos Muçulmanos contra o terrorismo arranca amanhã

Navesh Chitrakar

Sessenta imãs de vários países vão viajar pelas estradas da Europa num autocarro, durante uma semana. Um dos objetivos é levar uma mensagem de apoio às comunidades muçulmanas que têm vindo a ser discriminadas na sequência dos ataques terroristas levados a cabo por extremistas.

Para os líderes muçulmanos dizer que o Islão é sinónimo de paz já não é suficiente. É preciso agir para combater o ódio, a violência e a desconfiança.

No roteiro estão previstas paragens em França, em Saint-étienne-du-Rouvray, onde o ano passado um padre local foi degolado num ataque reivindicado pelo Daesh, e em Paris, onde terá lugar uma oração em frente ao Bataclan com a presença do Presidente francês Emmanuel Macron.

  • "Esta marcha é para mostrar a todos que o Islão é a paz"
    5:05

    Opinião

    Arranca este sábado em Berlim a Marcha dos Muçulmanos contra o terrorismo. Sessenta imãs, de vários países, vão viajar pelas estradas da Europa num autocarro durante uma semana. Um dos objectivos é levar uma mensagem de apoio às comunidades muçulmanas que têm vindo a ser discriminadas na sequência dos ataques terroristas levados a cabo por extremistas. Skeik David Munir esteve na Edição da Noite da SIC Notícias para falar sobre a iniciativa.

  • "Se estivesse a governar estaria preocupado com o futuro e não só com o presente"
    7:46
  • PS e PSD trocam acusações sobre Tancos
    1:18
  • Homens vítimas de violência doméstica
    31:17
  • Marcelo mergulha na baía de Luanda
    0:45
  • Défice chegou aos 2.034 milhões em agosto
    1:51

    Economia

    O défice do Estado caiu 1.900 milhões de euros até agosto, em comparação com o ano passado. A recuperação da economia ajudou a baixar o défice, com mais receitas e impostos acima do esperado. Já a despesa pública ficou praticamente inalterada e os pagamentos do Estado em atraso subiram.

  • EUA negam ter declarado guerra à Coreia do Norte

    Mundo

    Os Estados Unidos negaram esta segunda-feira ter declarado guerra à Coreia do Norte e frisaram que Pyongyang não pode disparar contra os seus aviões em águas internacionais, em resposta a uma ameaça do ministro dos Negócios Estrangeiros norte-coreano.

  • Morreu a egípcia que chegou a pesar 500 quilos

    Mundo

    A egípcia Eman Ahmed Abd El Aty, de 37 anos, que chegou a pesar 500 quilos, morreu num hospital de Abu Dabi, nos Emirados Árabes Unidos, devido a complicações cardíacas na sequência do seu excesso de peso.