sicnot

Perfil

Mundo

Trump e Putin discutiram Síria e Ucrânia em reunião com mais de duas horas

Carlos Barria

O primeiro encontro entre o Presidente americano, Donald Trump, e o seu homólogo russo, Vladimir Putin, realizado esta sexta-feira em Hamburgo, durou mais de duas horas e foi marcado por temas como a situação na Síria e na Ucrânia.

Realizado à margem da cimeira dos 20 países mais industrializados e emergentes (G20), a decorrer até sábado na cidade alemã de Hamburgo, o encontro entre Trump e Putin durou duas horas e 15 minutos e abordou, a par das crises síria e ucraniana, a luta antiterrorista e a cibersegurança, segundo indicou o Presidente russo após a reunião, sem adiantar mais pormenores.

As delegações dos Estados Unidos e da Rússia ficaram de divulgar posteriormente mais informações sobre o encontro.

No início do encontro, aguardado com grande expetativa devido à crescente tensão que tem marcado nos últimos meses a relação Washington/Moscovo, Trump manifestou-se otimista em relação ao encontro com o chefe de Estado russo e afirmou esperar "coisas muito positivas" para os dois países.

Sentado ao lado de Putin, Donald Trump afirmou ser "uma honra" estar com o seu homólogo russo.Nos breves momentos em que os jornalistas foram autorizados a entrar no local onde aconteceu o encontro bilateral, o Presidente dos Estados Unidos disse que ele e o chefe de Estado russo já tinham tido "conversas muito, muito boas".

Trump indicou ainda estar expectante pelas "muitas coisas positivas que vão acontecer para a Rússia e para os Estados Unidos".

"Estou feliz por conhecê-lo e espero que (...) este encontro seja marcado por um resultado positivo", disse, por sua vez, Vladimir Putin.

"Temos conversado ao telefone, mas as conversas telefónicas nunca são suficientes", acrescentou o líder russo.

Os dois líderes já falaram ao telefone em quatro ocasiões após a chegada de Donald Trump à Casa Branca, em janeiro deste ano, mas nunca tinham tido um encontro presencial.

Lusa

  • Marinha e Exército dão luz verde ao Aeroporto do Montijo

    País

    De acordo com a edição deste domingo do Diário de Notícias, o Exército e a Marinha já comunicaram à Força Aérea disponibilidade para desocupar parcialmente a base aérea e o Montijo se transformar num num aeroporto complementar ao de Lisboa.

  • Militares tentam acabar com guerra entre traficantes na Rocinha, Rio de Janeiro
    3:07

    Mundo

    As últimas horas têm sido de tensão no Rio de Janeiro depois dos tiroteios que começaram desde que uma das principais favelas da cidade foi ocupada por militares na sexta-feira. As forças federais foram acionadas para auxiliarem a polícia, que há vários dias tenta acabar com a guerra entre fações de traficantes de droga.

  • Irão lança míssil de médio alcance
    1:13

    Mundo

    Três dias depois do discurso hostil de Donald Trump nas Nações Unidas, o Irão testou um novo míssil de médio alcance que atingiu uma altura de dois mil quilómetros. Teerão diz que o teste não viola o acordo nuclear.

  • Trump renovou as ameaças à Coreia do Norte
    1:30
  • Atrás das Câmaras em Pedrógão Grande
    3:37
    Atrás das Câmaras

    Atrás das Câmaras

    DIARIAMENTE NA SIC E SIC NOTÍCIAS

    A carrinha do "Atrás das Câmaras" continua pelo país a mostrar aquilo que alguns políticos ignoram. Este sábado a equipa da SIC esteve em Pedrógão Grande, 99 dias após o incêndio que fez 64 mortos e 200 feridos.

  • Morreu Charles Bradley, uma das lendas do soul

    Cultura

    O cantor Charles Bradley morreu este sábado aos 68 anos. O músico norte-americano foi diagnosticado com cancro no ano passado. A notícia da morte foi confirmada na página oficial do cantor no Facebook.