sicnot

Perfil

Mundo

Partido de Macron realiza hoje a primeira convenção

Gonzalo Fuentes

O partido fundado por Emmanuel Macron, A República em Marcha (REM), realiza hoje a sua primeira convenção, na qual as cerca de 3.000 pessoas esperadas vão poder ouvir e debater as grandes ideias do partido para a rentrée política francesa.

Uma porta-voz do partido precisou esta semana que estão convidados a participar na reunião "os deputados, o comité político, os delegados nacionais, os membros da Comissão de Investidura, bem como o primeiro-ministro e os membros do governo".

A convenção, que decorrerá no Paris Event Center, em La Villette, Paris, visa "consagrar e aprofundar a dinâmica de cidadania do movimento", que conta já com mais de "373 mil aderentes", apenas quinze meses após a sua fundação, acrescentou a mesma fonte.

Durante a manhã os trabalhos vão decorrer à porta fechada, noticiou a imprensa francesa. Durante a tarde, a partir das 14:00 (13:00 em Lisboa), o partido vai apresentar o seu 'roadmap' e ações para lançar na 'rentrée' política em França.Para as 14:40 está previsto o discurso de encerramento do primeiro-ministro francês, Edouard Philippe.

A organização também disse que vários outros elementos "representativos da diversidade" do partido tomarão a palavra no decorrer dos trabalhos.Segundo a imprensa especializada francesa, A República em Marcha deverá adotar uma liderança colegial, com várias figuras a dirigir um movimento que pretende ter autonomia face à ação do Presidente Macron, mas também do governo.

Do coletivo de líderes do REM deverá fazer parte a atual presidente interina, Catherine Barbaroux, mas também o antigo deputado Arnaud Leroy, a senadora Bariza Khiari e Jean-Paul Delevoye.O partido do Presidente centrista Emmanuel Macron, e o seu aliado MoDem, obtiveram em 18 de julho uma maioria absoluta confortável na Assembleia Nacional francesa, elegendo 350 dos 577 deputados da câmara.

  • Vaca algarvia em risco de extinção
    3:42

    País

    É uma corrida contra o tempo e o risco iminente de extinção. Numa altura em que são conhecidos apenas cinco exemplares da raça bovina algarvia, a inseminação artificial parece ser a única forma de evitar o desaparecimento completo de uma raça que foi desaparecendo com as mudanças na agricultura.