sicnot

Perfil

Mundo

Congressista da Califórnia lança processo para destituição de Trump

Joshua Roberts

Um congressista democrata, eleito pelo Estado da Califórnia, apresentou esta quarta-feira a primeira iniciativa legal com vista à destituição (impeachment) de Donald Trump da Presidência dos EUA.

Brad Sherman, que integra a Câmara dos Representantes, acusou Trump de obstruir as investigações à interferência da Federação Russa nas eleições presidenciais de 2016, em parte por demitir o então diretor da polícia federal (FBI, na sigla em inglês), James Comey.

Sherman reconheceu que a sua iniciativa, designada formalmente como artigo para a destituição e consistente em uma série de acusações, "é o primeiro passo em uma estrada muito comprida".

Mas, em comunicado, manifestou-se esperançado em que, "se a incompetência impulsiva continuar, então, eventualmente, dentro de muitos, muitos meses, os republicanos vão juntar-se ao esforço para a destituição".

Este esforço tem poucas possibilidades de êxito na Câmara dos Representantes, dominada pelo partido republicano. Sherman nem sequer tem o apoio de muitos dos seus correligionários democratas.

Os próprios líderes dos democratas têm-se distanciado dos esforços para destituir Trump, acreditando que apenas servem para estimular os apoiantes do ocupante da Casa Branca.

A resolução de Sherman conta, porém, com o copatrocínio do representante democrata Al Green, eleito pelo Estado do Texas.

Sherman entregou o documento um dia depois de o filho do presidente, Donald Trump Jr., ter admitido que se reuniu com uma advogada russa durante a campanha.

A advogada prometeu informação do governo russo prejudicial para a então candidata presidencial democrata Hillary Clinton.Trump Jr. Garantiu que não recebeu informação sobre Clinton durante a reunião.

O presidente tem questionado os seus próprios serviços de informações e recusado a tese da interferência russa nas eleições.

Contudo, as autoridades federais garantem que têm provas irrefutáveis da interferência do Kremlin na eleição presidencial norte-americana.

Lusa

  • Governo prepara projeto para suavizar transição para a reforma
    1:38

    Economia

    O Governo quer suavizar a transição do trabalho para a reforma. A ideia é que essa passagem seja feita gradualmente e não de um dia para o outro, o que pode ser mais traumático. O projeto prevê a possilidade de o trabalhador cumprir meio horário e acumular com meia pensão.

  • Portugal pode perder parte dos fundos comunitários
    2:21

    Economia

    Portugal arrisca-se a perder parte dos fundos comunitários atribuídos ao país, se não acelerar a execução dos programas que têm comparticipação de Bruxelas. A notícia é avançada pelo jornal Público, que revela que o país ainda está longe de cumprir as metas mínimas. O Executivo desdramatiza e acredita que serão cumpridas até ao final do ano. O Governo diz mesmo que Portugal deverá ser um dos países com melhores taxas de execução.

  • Proteína tóxica que se acumula no cérebro pode ser uma das causas do Alzheimer
    2:33

    País

    Uma proteína tóxica que se acumula no cérebro pode ser uma das causadoras do Alzheimer. A revelação, feita pelo prémio Nobel da Medicina de 2014, será discutida no terceiro dia da cimeira mundial sobre doenças neurodegenerativas na Fundação Champalimaud, em Lisboa. A partir de hoje, serão apresentadas novidade nas investigações científicas sobre a epidemia silenciosa, que atinge 50 milhões de pessoas em todo o mundo.

  • Primeiro discurso de Costa na ONU alinhado com o de Guterres

    País

    O primeiro-ministro, António Costa, proferirá hoje o seu primeiro discurso na Assembleia Geral das Nações Unidas, devendo estar muito alinhado com a agenda política apresentada na terça-feira pelo secretário-geral da ONU, António Guterres, valorizando o multilateralismo.