sicnot

Perfil

Mundo

Alemanha "deve mudar" para corrigir disfuncionalidades da zona euro

Fabrizio Bensch

O Presidente francês considerou que a Alemanha "deve mudar" para corrigir "disfuncionalidades da zona euro" e dar-lhe "o destino que merece", numa entrevista publicada hoje, a poucas horas do conselho de ministros franco-alemão.

"Deve mudar, tal como a França deve mudar", sublinhou Emmanuel Macron, na entrevista ao jornal Ouest France e ao grupo de jornais alemão Funke.

Para Macron, que preside esta manhã no Eliseu ao 19.º conselho de ministros franco-alemão com a chanceler Angela Merkel, Berlim "deve acompanhar um ressurgimento do investimento público e privado na Europa".

"A Alemanha reformou-se formidavelmente, tem uma economia sólida, mas há fragilidades demográficas, desequilíbrios económicos e comerciais com os seus vizinhos", disse.

"As responsabilidades partilhadas devem dar à zona euro o destino que merece", sublinhou.

"Uma parte da competitividade alemã deve-se às disfuncionalidades da zona euro, à fraqueza das outras economias", analisou o Presidente francês.

Os países "que já estão endividados ficam ainda mais endividados" e "os que são competitivos ficam ainda mais competitivos", destacou.

A Alemanha "fez reformas", mas "beneficia também das disfuncionalidades da zona euro", uma "situação (que) não é saudável, porque não é duradoura".

Emmanuel Macron falou ainda dos "mecanismos de solidariedade mais importantes para o futuro", que passam por um "orçamento" da zona euro, "um governo que decide a alocação desse orçamento e um controlo democrático que não existe hoje".

Em matéria de defesa, o Presidente francês disse que apesar de "a Alemanha não ter as mesmas capacidades de intervenção operacionais" que a França, "pode apoiar o esforço europeu".

Lusa

  • Governo prepara projeto para suavizar transição para a reforma
    1:38

    Economia

    O Governo quer suavizar a transição do trabalho para a reforma. A ideia é que essa passagem seja feita gradualmente e não de um dia para o outro, o que pode ser mais traumático. O projeto prevê a possilidade de o trabalhador cumprir meio horário e acumular com meia pensão.

  • Portugal pode perder parte dos fundos comunitários
    2:21

    Economia

    Portugal arrisca-se a perder parte dos fundos comunitários atribuídos ao país, se não acelerar a execução dos programas que têm comparticipação de Bruxelas. A notícia é avançada pelo jornal Público, que revela que o país ainda está longe de cumprir as metas mínimas. O Executivo desdramatiza e acredita que serão cumpridas até ao final do ano. O Governo diz mesmo que Portugal deverá ser um dos países com melhores taxas de execução.

  • Proteína tóxica que se acumula no cérebro pode ser uma das causas do Alzheimer
    2:33

    País

    Uma proteína tóxica que se acumula no cérebro pode ser uma das causadoras do Alzheimer. A revelação, feita pelo prémio Nobel da Medicina de 2014, será discutida no terceiro dia da cimeira mundial sobre doenças neurodegenerativas na Fundação Champalimaud, em Lisboa. A partir de hoje, serão apresentadas novidade nas investigações científicas sobre a epidemia silenciosa, que atinge 50 milhões de pessoas em todo o mundo.

  • Primeiro discurso de Costa na ONU alinhado com o de Guterres

    País

    O primeiro-ministro, António Costa, proferirá hoje o seu primeiro discurso na Assembleia Geral das Nações Unidas, devendo estar muito alinhado com a agenda política apresentada na terça-feira pelo secretário-geral da ONU, António Guterres, valorizando o multilateralismo.