sicnot

Perfil

Mundo

Os pedidos de socorro do homem que ficou preso dentro do multibanco

KZTV

Um homem do Texas, nos Estados Unidos da América, ficou preso dentro de uma caixa multibanco. Sem telemóvel ou forma de comunicar, o homem decidiu enviar notas a pedir ajuda através da ranhura de onde saem os recibos. O caso aconteceu a 15 de junho.

Segundo a BBC, o homem estava a trabalhar na renovação do banco, quando ficou preso dentro da caixa multibanco. O telemóvel, que seria precioso numa situação como esta, acabou por ficar esquecido na carrinha que conduzia.

O homem conseguiu ser libertado depois de gritar para as pessoas que usavam a máquina, e que continuavam a ignorar os seus pedidos de ajuda através de mensagens.

O jornal inglês conta como a polícia pensava que era uma brincadeira, antes de perceber realmente o que estava a acontecer. "Claro que ouvíamos uma voz muito baixa a sair da máquina, então pensámos que era uma brincadeira. Tinha de ser uma brincadeira", disse o agente da polícia Richard Olden, citado pela BBC.

Numa das notas enviadas pelo homem, podia ler-se: "Por favor, ajudem-se. Estou preso aqui dentro e não tenho o meu telemóvel. Por favor, liguem ao meu chefe." A mensagem incluía ainda o número de telefone do chefe.

O homem foi finalmente libertado duas horas depois.

  • Passos acusa Governo de "sacudir água do capote"

    País

    O líder do PSD, Pedro Passos Coelho, acusou este sábado o Governo de "sacudir a água do capote" para não assumir a responsabilidade pelo que está a ser decidido, usando uma política de comunicação que considerou ser um "embuste".

  • Quase 200 polícias solidários com agentes acusados
    2:29

    País

    Perto de 200 polícias manifestaram-se este sábado na sede da PSP em Alfragide, em solidariedade com os 18 agentes acusados no processo Cova da Moura. O Sindicato Nacional de Polícia associou-se ao protesto e diz existir um aproveitamento político do caso.

  • Polícias ameaçam com protestos no arranque do campeonato
    1:24

    País

    Os agentes da PSP ameaçam boicotar a presença nos jogos do campeonato da Primeira e Segunda ligas que começam em 15 dias. Os agentes colocam em causa o atual modelo de policiamento no futebol, que faz com que muitos dos profissionais da PSP trabalhem sem remuneração em dia de folga.