sicnot

Perfil

Mundo

Paris com segurança reforçada para receber Merkel e Trump e festejar Dia da Bastilha

Charles Platiau

Paris reforçou a segurança para receber esta quinta-feira a chanceler alemã, Angela Merkel, e o Presidente dos EUA, Donald Trump, convidado de honra do seu homólogo francês, Emmanuel Macron, nos festejos do Dia da Bastilha, na sexta-feira.

Mais de 11 mil polícias e 2.500 bombeiros estão mobilizados pela autarquia da capital francesa para garantir a segurança, num plano que inclui vigilância aérea e fluvial.

Para esta quinta-feira está agendado um conselho de ministros franco-alemão, que terminará com uma conferência de imprensa conjunta do Presidente francês, Emmanuel Macron, e da chefe do Governo alemão.

O conceito de defesa europeu, a luta contra o terrorismo e o lançamento de uma aliança para o Sahel são os focos da agenda da primeira reunião, que decorre na presença de representantes da União Europeia, o Banco Mundial e Banco Africano de Desenvolvimento.

A menos de três meses das eleições legislativas na Alemanha, será difícil para Paris e Berlim avançarem em questões como a reforma da zona euro, desejada pelo Presidente francês, que defende um ministro das Finanças e um orçamento específico da zona euro.

A partir do fim da tarde, o foco recai sobre Donald Trump, que assistirá ao desfile do feriado nacional francês, que este ano tem os Estados Unidos como país convidado para comemorar o 100.º aniversário da entrada das tropas norte-americanas na primeira guerra mundial.

Trump chega à capital francesa como convidado de honra de Emmanuel Macron, que o recebe para uma reunião no Eliseu, seguindo-se uma visita guiada ao túmulo de Napoleão e um jantar na Torre Eiffel.

A luta contra o terrorismo bem como questões em que permanecem diferenças entre ambos os presidentes, como a luta contra as alterações climáticas, estarão no centro das conversas entre os dois líderes.

O encontro entre os dois presidentes tem sido anunciado por ambos os governos como uma ocasião para aprofundar os laços que ligam os Estados Unidos e França.

Na sexta-feira, dia da festa nacional francesa, ou Dia da Bastilha, as tropas dos EUA abrem a parada do tradicional desfile militar nos campos Elísios.

As autoridades francesas salientaram que a sua presença será "simbólica", que a cooperação militar entre os dois países é "perfeita" e que as relações bilaterais nesta área passam por um momento bom.

Lusa

  • UGT reivindica que salário mínimo ultrapasse os 600€
    0:26

    Economia

    O secretário-geral da UGT reivindica que até 2019 o salário mínimo nacional ultrapasse os 600 euros. Este sábado, num congresso distrital na Guarda, Carlos Silva considerou que o Governo tem condições para ir mais além e voltou a defender que para o próximo ano o patamar mínimo para a negociação deve ser os 585 euros.

  • Militares tentam acabar com guerra entre traficantes na Rocinha, Rio de Janeiro
    3:07

    Mundo

    As últimas horas têm sido de tensão no Rio de Janeiro depois dos tiroteios que começaram desde que uma das principais favelas da cidade foi ocupada por militares na sexta-feira. As forças federais foram acionadas para auxiliarem a polícia, que há vários dias tenta acabar com a guerra entre fações de traficantes de droga.

  • Trump renovou as ameaças à Coreia do Norte
    1:30
  • Atrás das Câmaras em Pedrógão Grande
    3:37
    Atrás das Câmaras

    Atrás das Câmaras

    DIARIAMENTE NA SIC E SIC NOTÍCIAS

    A carrinha do "Atrás das Câmaras" continua pelo país a mostrar aquilo que alguns políticos ignoram. Este sábado a equipa da SIC esteve em Pedrógão Grande, 99 dias após o incêndio que fez 64 mortos e 200 feridos.

  • Morreu Charles Bradley, uma das lendas do soul

    Cultura

    O cantor Charles Bradley morreu este sábado aos 68 anos. O músico norte-americano foi diagnosticado com cancro no ano passado. A notícia da morte foi confirmada na página oficial do cantor no Facebook.