sicnot

Perfil

Mundo

Dois turistas alemães mortos por esfaqueamento em estância balnear no Egito

Gleb Garanich / Reuters

Dois turistas alemães morreram hoje e outros quatro, dois checos e dois ainda por identificar, ficaram feridos quando foram esfaqueados numa estância balnear em Hurghada, no leste do Egito), avançou o responsável pela segurança na região do Mar Vermelho à agência Reuters.

Última atualização 17:18

(Corrigida a nacionalidade dos dois mortos, anteriormente identificados como ucranianos)

O homem que atacou os turistas com uma faca foi detido de imediato e está a ser interrogado pela polícia local, informou o ministério, num comunicado.

As primeiras informações da investigação indicam que o agressor teve acesso à zona reservada do hotel através de uma praia das imediações. O homem terá nadado e conseguido entrar na área privada do 'resort'.

Até ao momento, o motivo do ataque é desconhecido.

As autoridades egípcias informaram que os turistas foram transportados para um hospital local.

Este ataque acontece horas depois de cinco elementos das forças polícias egípcias terem sido mortos a tiro numa cidade próxima do Cairo.

Os atacantes, presumíveis extremistas islâmicos, abriram fogo contra o carro em que estavam os agentes policiais.

Em janeiro de 2016, três turistas ficaram feridos na zona balnear de Hurghada num ataque também perpetrado com uma arma branca. Os agressores eram alegados simpatizantes do grupo extremista Estado Islâmico (EI).

Lusa

  • Famílias das vítimas de Pedrógão criam associação para apurar responsabilidades
    2:13
  • Polícias ameaçam com protestos no arranque do campeonato
    1:24

    País

    Os agentes da PSP ameaçam boicotar a presença nos jogos do campeonato da Primeira e Segunda ligas que começam em 15 dias. Os agentes colocam em causa o atual modelo de policiamento no futebol, que faz com que muitos dos profissionais da PSP trabalhem sem remuneração em dia de folga.

  • 700 milhões para armamento e equipamento militar
    1:16

    País

    Portugal vai investir nos próximos anos 700 milhões de euros em armas e equipamento militar. Segundo a imprensa de hoje, o objetivo é colocar algumas áreas das Forças Armadas a um nível similar ao dos outros aliados da NATO. É o maior volume de programas de aquisição dos últimos anos e parte das verbas vão beneficiar a indústria portuguesa que fabrica aviões, navios-patrulha, rádios e sistemas de comando e controlo.

  • Princesa Diana morreu há 20 anos. Filhos falam pela 1ª vez da intimidade
    1:15