sicnot

Perfil

Mundo

Macron afirma que "nada separará nunca" a França e os EUA

Charles Platiau

O Presidente francês, Emmanuel Macron, afirmou, hoje, que "nada separará nunca" a França e os Estados Unidos, depois de agradecer o apoio norte-americano na Primeira Grande Guerra, no tradicional desfile militar do dia da Bastilha.

França encontrou na sua história "aliados seguros, amigos que vieram em nossa ajuda" e "os Estados Unidos da América são desses", por isso "nada separará nunca" os dois países, disse Macron no discurso que pronunciou na tribuna oficial.

Macron falava ao lado do Presidente norte-americano, Donald Trump, convidado a assistir ao desfile do Dia Nacional de França, por ocasião do 100.º aniversário da entrada dos EUA na I Guerra Mundial.

"A presença, hoje, ao meu lado, de Donald Trump e da sua mulher é sinal de uma amizade que atravessa o tempo", afirmou.

Lusa

  • Trump e Merkel em Paris no dia da Bastilha
    1:53

    Mundo

    O Presidente dos EUA, Donald Trump e a Chanceler alemã, Angela Merkel, estão ambos em Paris, para participar nas comemorações do 14 de julho, a data que assinala a tomada da Bastilha, em 1789.Durante a manhã, a Primeira-dama dos Estados Unidos, Melania Trump, visitou um hospital pediátrico da capital francesa, enquanto a chanceler alemã encontrou-se com o Presidente Emmanuel Macron, numa mini-cimeira que acontece na véspera do 1º aniversário do atentado em Nice, que matou 86 pessoas. Em Paris, a segurança voltou a ser reforçada, com mais de 10.000 polícias nas ruas.

  • Trump elogia "boa forma" da mulher de Macron
    0:17

    Mundo

    Donald Trump chegou esta quinta-feira a Paris para um encontro com o homólogo Emmanuel Macron. Contudo, não foi a visita em si que deu que falar, mas sim os elogios que o Presidente norte-americano dirigiu a Brigitte Macron. "Estás em muito boa forma", foram as palavras usadas por Trump.

  • Presidente do Tondela diz que clube foi humilhado
    1:26

    Desporto

    O presidente do Tondela participou esta segunda-feira na conferência de imprensa após o jogo da 23.ª jornada da I Liga com o Sporting. Gilberto Coimbra criticou o árbitro do encontro João Capela, e diz que o tempo de compensação dado a mais foi por uma falta que não foi assinalada sobre um jogador do Tondela, Bruno Monteiro.

  • Último golo do Sporting ao Tondela "é legal e limpinho" 
    0:41

    Desporto

    Jorge Jesus entende que a vitória desta segunda-feira do Sporting frente ao Tondela não merece contestação e destaca o facto de o árbitro ter avisado os jogadores que iria prolongar o tempo extra. Para o treinador dos leões, o golo no minuto 99' é legal. 

  • Deputados pedem medidas urgentes para travar exploração de urânio junto à fronteira
    3:06

    País

    Um projeto de exploração de urânio no município de Retortilho em Salamanca, a cerca de 40 quilómetros da fronteira portuguesa, está a causar preocupação nos dois países. Portugueses e espanhóis temem o risco de contaminação por via aérea e fluvial. Deputados portugueses visitaram o local, onde pediram medidas firmas e urgentes ao Governo para travar o projeto. As autoridades de Espanha não acionaram o mecanismo de avaliação ambiental partilhada.

  • Mulher enterrada viva no Brasil
    1:13

    Mundo

    Uma mulher de 37 anos terá sido enterrada viva no oeste da Bahia, no Brasil. A certidão de óbito aponta um choque séptico como a causa da morte, mas os ferimentos com que foi encontrada no interior do caixão indicam um possível erro. Os moradores de casas vizinhas do cemitério municipal onde Rosângela dos Santos foi enterrada ouviram gritos vindos do túmulo.

  • "Os Estados Unidos são uma sociedade de pistoleiros"
    3:47
  • Trump desafia Oprah a candidatar-se para ser derrotada

    Mundo

    Apesar de Oprah Winfrey ter excluído uma eventual candidatura às eleições presidenciais dos Estados Unidos da América, Donald Trump ainda não se esqueceu dos rumores e desafiou a apresentadora a candidatar-se em 2020. Através do Twitter, o Presidente norte-americano disse ainda que assim poderia ser "exposta e derrotada como todos os outros".

    SIC