sicnot

Perfil

Mundo

Turquia tem de respeitar valores europeus se quiser entrar na UE, avisa Juncker

O Presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, apelou hoje à Turquia para que respeite os valores democráticos se quiser entrar um dia na União Europeia, um dia após o Presidente turco fazer ameaças aos golpistas.

"Um ano após a tentativa de golpe de Estado, a mão da Europa continua estendida", escreveu Juncker num texto publicado pela edição de hoje do jornal alemão Bild, numa altura em que as negociações para a adesão da Turquia à UE estão há vários anos num impasse.

No entanto, o presidente da Comissão Europeia acrescentou que, em troca, "a Turquia tem de demonstrar claramente a sua vontade de ser europeia e assumir de forma decidida os valores europeus fundamentais".

"Uma União dos direitos humanos, da liberdade de imprensa e do Estado de direito não é, por exemplo, compatível com a prisão em isolamento de jornalistas sem uma acusação judicial", afirmou Juncker, numa referência ao caso de um jornalista germano-turco, Deniz Yücel, acusado por Ancara de apoio ao terrorismo.

No sábado, o Presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, comemorou o primeiro aniversário da tentativa de golpe de Estado com a promessa de "arrancar a cabeça aos traidores".

O Governo turco tem acusado a rede do predicador islamita Fethullah Gülen, exilado nos Estados Unidos desde 1999, de ter organizado o golpe de Estado de julho de 2016 e desencadeou uma repressão sem precedentes contra os alegados membros desta organização.

De acordo com os números de organizações independentes, desde o golpe já foram despedidas 138.148 pessoas (funcionários públicos, professores, académicos, juristas, militares), e registadas mais de 115.000 detenções e cerca de 55.000 prisões efetivas.

Quase 2.100 escolas e universidades foram encerradas, 3.271 académicos perderam o emprego, 4.424 juízes e procuradores foram demitidos, 149 media (incluindo informáticos) foram fechados e 269 jornalistas detidos.

Lusa

  • Marcelo lembra como foi tratada a tragédia durante a ditadura
    2:25

    Tragédia em Pedrógão Grande

    Marcelo Rebelo de Sousa não quis comentar diretamente a polémica em torno da lista das vítimas mortais de Pedrógão Grande, mas recorreu às cheias de 1967 para lembrar como as tragédias eram tratadas no tempo da ditadura. O Presidente da República defendeu que não é possível esconder a dimensão de uma tragédia num regime democrático. Há 50 anos, Marcelo Rebelo de Sousa acompanhou de perto a forma como o regime tentou esconder a verdadeira dimensão do incidente.

  • Ministra admite falhas no SIRESP no presente e no passado
    2:35

    País

    A ministra da Administração Interna admitiu, esta quinta-feira, que o SIRESP falha no presente tal como já falhou no passado, quando a tutela pertencia ao Governo PSD. Os sociais-democratas quiserem ouvir Constança Urbano de Sousa na comissão parlamentar mas desta vez a ministra defendeu-se com um ataque. 

  • À descoberta de Dago, o destroço mais visitado em mergulho de profundidade
    13:51
  • Uma viagem aérea pela aldeia histórica de Monsanto
    0:50
  • "Comecei por ajudar uma família que me pediu um plástico para se proteger"
    4:51
  • Quase três mil toneladas de plástico ameçam tartarugas no Mediterrâneo
    2:35

    Mundo

    O Mar Mediterrâneo está sob a ameaça de se tornar uma lixeira com três mil toneladas de plástico a flutuarem entre a Europa e África. Há milhões de turistas a nadarem nestas águas e há espécies marinhas que já estão em perigo. No Chipre, os cientistas estão a tentar proteger tartarugas, cuja alimentação já é quase totalmente de plástico.

  • Deputado da Malásia diz que negar sexo ao marido é uma forma de abuso

    Mundo

    Um deputado malaio tem sido alvo de algumas críticas na internet, depois de ter dito que negar sexo a maridos é uma forma de abuso psicológico e emocional por parte das mulheres. As declarações de Che Mohamad Zulkifly Jusoh foram feitas durante um debate sobre as alterações às leis de violência doméstica, na quarta-feira.

    SIC