sicnot

Perfil

Mundo

Jovem saudita gera revolta no país após publicar vídeo a usar minissaia

Khaled Abdullah

Uma jovem da Arábia Saudita colocou no fim de semana um video seu a andar de minissaia e de camisola curta no centro histório da cidade de Ushaiager, causando uma enorme discussão nas redes sociais.

De acordo com o relato feito pela agência de notícias AP, o video foi colocado na rede social Snapchat, com alguns compatriotas a defenderem a prisão da jovem e outros a defenderem-na.

Os meios de comunicação social ligados ao Estado noticiaram esta segunda-feira que as autoridades deste país muçulmano, profundamente conservador, estão a estudar a possibilidade de levarem a cabo ações judiciais contra esta jovem que violou a lei sobre a roupa que as mulheres podem usar em público.

As mulheres na Arábia Saudita têm de usar em público as ayalas, uma espécie de vestido que cobrem todo o corpo da mulher, incluindo a cara e o cabelo, que têm também de ser cobertos com um véu negro.

O vídeo mostra a mulher a andar no centro histórico e vazio da cidade de Ushaiager, uma aldeia a norte da capital, na região do deserto de Najd, onde vivem algumas das famílias e tribos mais conservadoras.

As redes sociais foram o veículo usado para apoiar ou recriminar a jovem, havendo mensagens de ambos os lados, nomeadamente no Twitter e no Facebook, duas das redes sociais mais usadas no país para exprimir a opinião e descarregar as frustrações, segundo escreve a AFP.

Lusa

  • Autópsia à mulher baleada pela PSP contradiz agentes
    1:28

    País

    A mulher que morreu acidentalmente durante uma perseguição da PSP terá sido baleada no pescoço e o trio terá sido disparado por trás. Entretanto, segundo a imprensa, a PJ ainda não encontrou vestígios do tiroteio, entre os assaltantes do multibanco de Almada e a PSP.

  • Marinha dos EUA considera "absolutamente inaceitável" desenho de um pénis no céu

    Mundo

    Os cidadãos do Condado de Okanogan, em Washington, foram surpreendidos esta quinta-feira com o contorno de um pénis no céu. A imagem resultou de um rasto de condensação deixado por um avião militar norte-americano. A Marinha confirmou que um dos seus pilotos tinha desenhado a figura no ar e defendeu que a situação era "absolutamente inaceitável".