Mundo

Mulher arrastada por carruagem no metro de Roma

@corriere

Uma mulher ficou presa no final da última carruagem no metro de Roma, em Itália, quando as portas da carruagem se fecharam e foi arrastada até à entrada do túnel. O caso aconteceu na passada quarta-feira e desde então gerou um debate em volta da segurança daquele transporte público.

Natalya Garcovich entrou na carruagem, mas desistiu e tentou sair. Quando o fez, as portas fecharam-se e entalaram a passageira que foi arrastada até ao fim da plataforma.

A bielorrussa de 43 anos ficou gravemente ferida, após ter batido com força na parede do túnel.

Natalya Garcovich foi transportada para o hospital General Tor Vergata e encontra-se nos cuidados intensivos.

Várias gravações do momento do incidente mostram que o maquinista estava a comer enquanto os passageiros entravam e quando iniciou a marcha.

A empresa que gere o metro de Roma decidiu suspender o maquinista Gianluca Tonelli, que garante que cumpriu o protocolo.

"Eu sei que o que fiz foi errado e estou destroçado pelo que aconteceu à mulher", disse o maquinista ao Corriere della Sera.

"Nas imagens é possível verificar que olhei duas vezes pelo espelho", acrescentou Gianluca Tonelli.

O incidente no metro de Roma já está a ser investigado pelas autoridades.

As imagens divulgadas pelo jornal italiano Corriere della Sera podem ferir a suscetibilidade dos leitores mais sensíveis.

  • Benfica promete queixa-crime contra quem divulgou contratos de Castillo e Ferreyra
    1:26

    Desporto

    Um blog divulgou na internet os valores dos contratos de dois dos reforços do Benfica, Castillo e Ferreyra. O clube da Luz promete agir judicialmente contra quem divulgou estas informações. A SIC sabe que devido à gravidade dos factos a Liga de Clubes está a considerar suspender os funcionários da instituição até que este caso seja esclarecido.

  • Donald Trump envolvido em mais uma polémica
    1:49
  • Caminhada de 20 quilómetros até ao trabalho valeu um carro

    Mundo

    Quando o carro de Walter Carr deixou de funcionar um dia antes do primeiro dia de trabalho numa empresa de mudanças, ele não desistiu nem ligou a dizer que ia faltar. Saiu de casa à meia-noite e fez mais de 20 quilómetros a pé para chegar a horas. No final recebeu uma recompensa.

    SIC