sicnot

Perfil

Mundo

Merkel contra "solução militar" na crise com a Coreia do Norte

Hannibal Hanschke

A chanceler alemã, Angela Merkel, opôs-se hoje a uma qualquer "solução militar" na crise com a Coreia do Norte. Merkel advertiu para as consequências negativas da atual escalada da retórica entre Pyongyang e os Estados Unidos.

"Não vejo uma solução militar para este conflito. A Alemanha vai participar de maneira intensa nas possíveis soluções não-militares, mas considero que a escalada verbal é uma resposta errada", disse Merkel, em declarações à imprensa em Berlim.

As declarações da líder alemã surgem perante a escalada da retórica entre Washington e Pyongyang verificada nos últimos dias.

Na terça-feira, o Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, ameaçou o regime da Coreia do Norte com "fogo e fúria nunca vistos" se o regime liderado por Kim Jong-un persistir nas ameaças contra os norte-americanos.

Trump voltou hoje a ameaçar a Coreia do Norte e disse que a opção militar está pronta para ser acionada. "As soluções militares estão plenamente operacionais, preparadas e armadas, para o caso de a Coreia do Norte se comportar imprudentemente. Espero que Kim Jong-un opte por outro caminho", escreveu o Presidente norte-americano na sua conta do Twitter.

A Coreia do Norte disse estar a preparar planos para atacar a base norte-americana na ilha de Guam, no Pacífico, a 3.430 quilómetros a sudeste do território norte-coreano.

Lusa

  • Pelo menos seis mortos em descarrilamento nos EUA

    Mundo

    Pelo menos seis pessoas morreram na sequência do descarrilamento de um comboio de passageiros, ocorrido esta segunda-feira perto da cidade norte-americana de Seattle, estado de Washington, referiu um responsável norte-americano citado pela agência noticiosa norte-americana Associated Press.

  • Comissão de trabalhadores da Autoeuropa vai entregar contraproposta
    1:39

    Economia

    A Autoeuropa vai parar entre o Natal e o Ano Novo por falta de peças para a produção. O anúncio foi feito esta segunda-feira, no dia em que foram retomadas as negociações sobre os novos horários de trabalho na fábrica de Palmela. Ainda não está nada decidido, mas a Comissão de Trabalhadores vai preparar uma contraproposta para entregar à administração que, na semana passada, impôs de forma unilateral o trabalho ao sábado.