sicnot

Perfil

Mundo

Boris Johnson aponta responsabilidades ao regime norte-coreano na crise com os EUA

Toby Melville

O ministro dos Negócios Estrangeiros (MNE) britânico apontou este sábado responsabilidades ao regime do Presidente norte-coreano, Kim Jong-Un, pela "crise" entre a Coreia do Norte e os Estados Unidos, garantindo que está a trabalhar para encontrar uma "solução diplomática".

"O regime norte-coreano está na origem deste problema e é preciso resolvê-lo", escreveu Boris Johnson na sua conta do Twitter.

"A comunidade internacional está unida para garantir que a Coreia do Norte coloque fim às suas operações agressivas", acrescentou.

"Estamos a trabalhar com os Estados Unidos e com os nossos parceiros na região para encontrar uma solução diplomática para a crise", disse ainda.

Estas declarações foram feitas num contexto de crescente tensão entre Pyongyang e Washington.

A Casa Branca anunciou este sábado que suas forças estão prontas para proteger os Estados Unidos e, particularmente, a ilha de Guam. A Coreia do Norte já havia anunciado planos para lançar mísseis nas proximidades desta ilha norte-americana no Pacífico.

O Presidente chinês, Xi Jinping, pediu ao seu homólogo norte-americano, Donald Trump, que evite "palavras e ações" que possam "agravar" a situação.

Por seu lado, o Presidente francês, Emmanuel Macron, pediu "que se evite a escalada das tensões".

Lusa

  • Rui Santos revela novos e-mails que envolvem o Benfica
    1:52
    Tempo Extra

    Tempo Extra

    3ª FEIRA 23:00

    No programa da SIC Notícias Tempo Extra, Rui Santos revelou esta terça-feira que o blogue de Hugo Gil, associado ao Benfica, partilhou informação privilegiada da APAF (Associação Portuguesa de Árbitros de Futebol) com várias figuras do clube da Luz.

  • "É preciso namorar bem para que o namoro dê certo"
    2:31
  • Governo vai proibir refeições nos monumentos com estatuto de panteão
    0:53

    País

    O Governo vai acabar com as refeições no Panteão Nacional e em edifícios com estatuto semelhante, como os mosteiros dos Jerónimos e da Batalha. A decisão foi anunciada esta terça-feira pelo ministro da Cultura, no Parlamento. Luís Filipe Castro Mendes esclareceu que a decisão surge no âmbito da revisão do regulamento sobre os monumentos.

  • O Futuro Hoje na maior feira eletrónica de consumo do mundo
    5:14