sicnot

Perfil

Mundo

Trump aceita falar com Maduro quando "democracia for restaurada"

Jonathan Ernst

O Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, aceitará falar com o seu homólogo venezuelano, Nicolás Maduro, "assim que a democracia for restaurada" no país, anunciou na sexta-feira a Casa Branca.

"Hoje [sexta-feira], Nicolás Maduro pediu uma ligação telefónica com o Presidente Trump", indicou a Casa Branca, ao referir que o Presidente dos Estados Unidos "falará, com muito gosto, com o líder da Venezuela assim que a democracia no país for restabelecida".

"Trump pediu a Maduro respeito pela Constituição, eleições livres e justas, a libertação dos presos políticos e o fim das violações aos direitos humanos" e "Maduro, pelo contrário, escolheu o caminho ditatorial", sublinha Washington, num comunicado, no qual salienta que os Estados Unidos "estão com o povo da Venezuela contra a contínua opressão do regime de Maduro".

O Presidente da Venezuela manifestou, na quinta-feira, num discurso em Caracas, o desejo "conversar" com Donald Trump, instruindo o seu ministro dos Negócios Estrangeiros a dar os passos necessários com vista à realização de um diálogo com o seu homólogo americano, a ter lugar por telefone ou pessoalmente, em Nova Iorque, por ocasião da Assembleia-Geral da ONU, marcada para 20 de setembro.

O comunicado da Casa Branca surge no mesmo dia em que Donald Trump levantou pela primeira vez a possibilidade de uma eventual intervenção militar na Venezuela.

"Temos várias opções para a Venezuela, incluindo uma possível opção militar se necessário", disse, sem facultar mais detalhes.

"Temos tropas em todo o mundo, em lugares muito, muito distantes. A Venezuela não está muito longe e há gente a sofrer e a morrer", argumentou o Presidente norte-americano.

Lusa

  • Negligência é a principal causa dos incêndios
    1:32

    País

    A Polícia Judiciária deteve mais dois suspeitos de fogo posto este fim de semana. Ao todo já foram detidas pelo menos 99 pessoas pelas autoridades desde o início do ano, a maioria suspeitas de agirem intencionalmente. Mas desde 1 de janeiro até meados deste mês, dos 8 mil incêndios investigados pela GNR, mais de 3.300 tiveram causa negligente. 

  • Concentração de motos em Góis
    2:28

    País

    Durante este fim de semana, decorre uma das concentrações de motards mais concorridas do país. A organização esperava cerca de 20 mil visitantes em Góis.