sicnot

Perfil

Mundo

Trump aceita falar com Maduro quando "democracia for restaurada"

Jonathan Ernst

O Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, aceitará falar com o seu homólogo venezuelano, Nicolás Maduro, "assim que a democracia for restaurada" no país, anunciou na sexta-feira a Casa Branca.

"Hoje [sexta-feira], Nicolás Maduro pediu uma ligação telefónica com o Presidente Trump", indicou a Casa Branca, ao referir que o Presidente dos Estados Unidos "falará, com muito gosto, com o líder da Venezuela assim que a democracia no país for restabelecida".

"Trump pediu a Maduro respeito pela Constituição, eleições livres e justas, a libertação dos presos políticos e o fim das violações aos direitos humanos" e "Maduro, pelo contrário, escolheu o caminho ditatorial", sublinha Washington, num comunicado, no qual salienta que os Estados Unidos "estão com o povo da Venezuela contra a contínua opressão do regime de Maduro".

O Presidente da Venezuela manifestou, na quinta-feira, num discurso em Caracas, o desejo "conversar" com Donald Trump, instruindo o seu ministro dos Negócios Estrangeiros a dar os passos necessários com vista à realização de um diálogo com o seu homólogo americano, a ter lugar por telefone ou pessoalmente, em Nova Iorque, por ocasião da Assembleia-Geral da ONU, marcada para 20 de setembro.

O comunicado da Casa Branca surge no mesmo dia em que Donald Trump levantou pela primeira vez a possibilidade de uma eventual intervenção militar na Venezuela.

"Temos várias opções para a Venezuela, incluindo uma possível opção militar se necessário", disse, sem facultar mais detalhes.

"Temos tropas em todo o mundo, em lugares muito, muito distantes. A Venezuela não está muito longe e há gente a sofrer e a morrer", argumentou o Presidente norte-americano.

Lusa

  • Militares tentam acabar com guerra entre traficantes na Rocinha, Rio de Janeiro
    3:07

    Mundo

    As últimas horas têm sido de tensão no Rio de Janeiro depois dos tiroteios que começaram desde que uma das principais favelas da cidade foi ocupada por militares na sexta-feira. As forças federais foram acionadas para auxiliarem a polícia, que há vários dias tenta acabar com a guerra entre fações de traficantes de droga.

  • Irão lança míssil de médio alcance
    1:13

    Mundo

    Três dias depois do discurso hostil de Donald Trump nas Nações Unidas, o Irão testou um novo míssil de médio alcance que atingiu uma altura de dois mil quilómetros. Teerão diz que o teste não viola o acordo nuclear.

  • Trump renovou as ameaças à Coreia do Norte
    1:30
  • Guterres apela à Coreia do Norte para cumprir resoluções

    Mundo

    O secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, apelou este sábado ao ministro do Exterior da Coreia do Norte, Ri Yong Ho, para o cumprimento das resoluções que o Conselho de Segurança impôs ao país em resposta à sua escalada armada.

  • Atrás das Câmaras em Pedrógão Grande
    3:37
    Atrás das Câmaras

    Atrás das Câmaras

    DIARIAMENTE NA SIC E SIC NOTÍCIAS

    A carrinha do "Atrás das Câmaras" continua pelo país a mostrar aquilo que alguns políticos ignoram. Este sábado a equipa da SIC esteve em Pedrógão Grande, 99 dias após o incêndio que fez 64 mortos e 200 feridos.

  • Morreu Charles Bradley, uma das lendas do soul

    Cultura

    O cantor Charles Bradley morreu este sábado aos 68 anos. O músico norte-americano foi diagnosticado com cancro no ano passado. A notícia da morte foi confirmada na página oficial do cantor no Facebook.