sicnot

Perfil

Mundo

Congregação religiosa belga desafia papa e permite prática da eutanásia

Arquivo Reuters

REUTERS

Uma congregação religiosa belga está a desafiar uma ordem do papa Francisco para terminar com casos de eutanásia nos hospitais psiquiátricos que gere e diz que a decisão de a manter é consistente com a doutrina católica.

Numa posição com data de terça-feira, o ramo belga dos Irmãos da Caridade manteve a posição de continuar a praticar a eutanásia e disse que as negociações com as autoridades da Igreja para resolver o impasse não obtiveram resultados, acrescentando que estava aberta ao diálogo, mas apenas para explicar a posição.

Em maio a congregação anunciou que permitiria que os médicos praticassem a eutanásia nos seus 15 hospitais psiquiátricos na Bélgica (um dos dois países, com a Holanda, onde os médicos estão legalmente autorizados a matar pessoas com problemas mentais, a pedido destas), apesar da oposição da hierarquia da Igreja Católica.

Para que se pratique a eutanásia, segundo a entidade, é preciso que as pessoas estejam em "insuportável sofrimento" e que não haja "alternativas razoáveis de tratamento".

E os pedidos serão considerados "com o maior cuidado" e avaliados por pelo menos três médicos.

A Santa Sé lançou uma investigação da decisão do conselho de administração do grupo, já que a Igreja Católica proíbe a eutanásia, e em agosto o Vaticano ordenou o fim da eutanásia nos Irmãos da Caridade, dando-lhe um mês para cumprir a ordem.

A sede administrativa da congregação em Roma concordou, afirmando que a eutanásia "vai contra os princípios básicos" da Igreja Católica.

E o superior da ordem, Rene Stockman, pediu aos Irmãos belgas para que escrevessem uma carta formal declarando a aceitação da doutrina da Igreja de respeito pela vida desde a conceção à morte natural.

Na resposta, na terça-feira, os Irmãos belgas disseram que "enfaticamente" acreditam que a sua decisão de permitir a eutanásia é consistente com a doutrina católica.

Lusa

  • UGT reivindica que salário mínimo ultrapasse os 600€
    0:26

    Economia

    O secretário-geral da UGT reivindica que até 2019 o salário mínimo nacional ultrapasse os 600 euros. Este sábado, num congresso distrital na Guarda, Carlos Silva considerou que o Governo tem condições para ir mais além e voltou a defender que para o próximo ano o patamar mínimo para a negociação deve ser os 585 euros.

  • Militares tentam acabar com guerra entre traficantes na Rocinha, Rio de Janeiro
    3:07

    Mundo

    As últimas horas têm sido de tensão no Rio de Janeiro depois dos tiroteios que começaram desde que uma das principais favelas da cidade foi ocupada por militares na sexta-feira. As forças federais foram acionadas para auxiliarem a polícia, que há vários dias tenta acabar com a guerra entre fações de traficantes de droga.

  • Trump renovou as ameaças à Coreia do Norte
    1:30
  • Franceses em protesto contra reformas de Macron
    1:04
  • Atrás das Câmaras em Pedrógão Grande
    3:37
    Atrás das Câmaras

    Atrás das Câmaras

    DIARIAMENTE NA SIC E SIC NOTÍCIAS

    A carrinha do "Atrás das Câmaras" continua pelo país a mostrar aquilo que alguns políticos ignoram. Este sábado a equipa da SIC esteve em Pedrógão Grande, 99 dias após o incêndio que fez 64 mortos e 200 feridos.

  • Morreu Charles Bradley, uma das lendas do soul

    Cultura

    O cantor Charles Bradley morreu este sábado aos 68 anos. O músico norte-americano foi diagnosticado com cancro no ano passado. A notícia da morte foi confirmada na página oficial do cantor no Facebook.

  • Tony Carreira em Paris com sala cheia
    2:36

    Cultura

    O cantor Tony Carreira actuou ontem em Paris e teve sala cheia a aplaudir os temas que o tornaram conhecido há quase 30 anos. As recentes acusações de plágio não parecem afectar a popularidade do artista, que vai continuar em tournée. A Sic acompanhou o artista neste concerto.