sicnot

Perfil

Mundo

Rei de Espanha diz que Constituição prevalecerá sobre a desunião

Felipe VI, Rei de Espanha.

© POOL New / Reuters

O rei Felipe VI de Espanha mencionou esta quarta-feira pela primeira vez a crise política desencadeada pelo plano da Catalunha de realizar um referendo sobre a independência, dizendo que a Constituição, que proíbe a secessão, "prevalecerá".

Falando na cerimónia de entrega dos Prémios Nacionais de Cultura 2016, Felipe garantiu que a Constituição "prevalecerá sobre qualquer falha" da "convivência em democracia" e que "os direitos de todos os espanhóis serão preservados" face "aqueles que se colocam fora da legalidade constitucional e estatutária".

Esta foi a primeira intervenção pública do rei espanhol desde que o parlamento da Catalunha aprovou a lei do referendo para permitir a consulta sobre a independência da região, que o governo regional anunciou para 1 de outubro.

Felipe sublinhou que a "convivência democrática" foi "um grande triunfo coletivo que é irrenunciável", tratando-se de "uma aspiração alcançada após muitos sacrifícios e esforços e graças ao compromisso e generosidade de todos".

"Essa convivência, numa democracia constitucional como a nossa, só é possível se as leis que a regulam e organizam forem cumpridas pelos cidadãos e pelas instituições", insistiu.

O governo espanhol está a tentar travar nos tribunais o planeado referendo, tendo como suporte último a Constituição. O Tribunal Constitucional espanhol suspendeu na terça-feira a lei regional que prevê a transição da Catalunha para um Estado soberano, enquanto aprecia a constitucionalidade dessa norma, segundo a imprensa espanhola.

Os independentistas defendem que cabe apenas aos catalães a decisão sobre a permanência da região em Espanha, enquanto Madrid se apoia na Constituição do país para insistir que a decisão sobre uma eventual divisão do país tem de ser tomada pela totalidade dos espanhóis.

Lusa

  • "A Catalunha não tem muito a ganhar com a independência"
    3:10

    Opinião

    No comentário habitual do Jornal da Noite, Miguel Sousa Tavares disse que não é certo que a maioria dos catalães seja a favor da independência e que devia haver uma maioria clara para a Catalunha ser independente de Espanha. O comentador da SIC defendeu ainda que a região espanhola não tem muito a ganhar, apesar de ser uma nação dentro das nações espanholas.

  • Milhares de "oprimidos e cansados" nas ruas de Barcelona
    1:47

    Mundo

    Milhares de pessoas manifestaram-se esta segunda-feira à tarde em Barcelona, pelo direito à realização de um referendo de autodeterminação. Os movimentos independentistas da Catalunha marcaram a votação para 1 de outubro, mas o Governo de Madrid já disse que não vai permitir o referendo, por ser ilegal. Vários manifestantes confessam estar "cansados" de pertencer a Espanha.

  • UGT reivindica que salário mínimo ultrapasse os 600€
    0:26

    Economia

    O secretário-geral da UGT reivindica que até 2019 o salário mínimo nacional ultrapasse os 600 euros. Este sábado, num congresso distrital na Guarda, Carlos Silva considerou que o Governo tem condições para ir mais além e voltou a defender que para o próximo ano o patamar mínimo para a negociação deve ser os 585 euros.

  • Militares tentam acabar com guerra entre traficantes na Rocinha, Rio de Janeiro
    3:07

    Mundo

    As últimas horas têm sido de tensão no Rio de Janeiro depois dos tiroteios que começaram desde que uma das principais favelas da cidade foi ocupada por militares na sexta-feira. As forças federais foram acionadas para auxiliarem a polícia, que há vários dias tenta acabar com a guerra entre fações de traficantes de droga.

  • Trump renovou as ameaças à Coreia do Norte
    1:30
  • Franceses em protesto contra reformas de Macron
    1:04
  • Morreu Charles Bradley, uma das lendas do soul

    Cultura

    O cantor Charles Bradley morreu este sábado aos 68 anos. O músico norte-americano foi diagnosticado com cancro no ano passado. A notícia da morte foi confirmada na página oficial do cantor no Facebook.

  • Tony Carreira em Paris com sala cheia
    2:36

    Cultura

    O cantor Tony Carreira actuou ontem em Paris e teve sala cheia a aplaudir os temas que o tornaram conhecido há quase 30 anos. As recentes acusações de plágio não parecem afectar a popularidade do artista, que vai continuar em tournée. A Sic acompanhou o artista neste concerto.