Mundo

Índia e Japão lançam primeira linha ferroviária de alta velocidade indiana

O primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe (à esquerda), com o seu homólogo indiano, Narendra Modi (à direita), durante a cerimónia de inauguração das obras da primeira linha ferroviária de alta velocidade da Índia.

Amit Dave

Os primeiros-ministros indiano e japonês inauguraram hoje as obras da primeira linha ferroviária de alta velocidade da Índia, com tecnologia japonesa, projeto emblemático das relações entre Nova Deli e Tóquio.

Até dezembro de 2023, esta linha de 500 quilómetros deverá ligar a cidade de Ahmedabad, no estado ocidental de Gujarat, a Bombaim, capital económica indiana e do estado de Maharashtra, a sul, em três horas e meia.

Esta ligação ferroviária demora atualmente cerca de oito horas. O projeto, orçado em cerca de 19 mil milhões de dólares (16 mil milhões de euros), constitui a base da aproximação diplomática entre o Japão e a Índia, destinada a contrariar o domínio crescente da China na Ásia.

Este comboio de alta velocidade "marca o início de um novo capítulo das relações entre a Índia e o Japão", declarou o primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, durante a cerimónia em Ahmedabad.

"Espero aproveitar a beleza da Índia, através da janela deste comboio de alta velocidade com [o primeiro-ministro indiano, Narendra] Modi ao meu lado, quando voltar à Índia dentro de alguns anos", acrescentou.

O Japão vai fornecer 85% do financiamento para a construção desta infraestrutura à Índia, através de empréstimos a taxas reduzidas.

Lusa

  • "O Mal Entendido: as doenças a que chamamos cancro" - capítulo 4: Os maratonistas
    33:52
  • O verdadeiro alarme e ameaça à segurança interna está no roubo das pistolas
    0:50

    Assalto em Tancos

    O general Leonel de Carvalho associa o roubo em Tancos ao desaparecimento de 57 armas da PSP de Lisboa, em fevereiro do ano passado. O antigo secretário geral do Gabinete coordenador de Segurança considera ainda que o verdadeiro alarme e ameaça à segurança interna está no roubo dessas pistolas e não no alegado desaparecimento de algumas granadas e outro material explosivo de pouca capacidade.

  • "Aquilo parecia um filme de terror"
    1:40

    Crise no Sporting

    Jorge Jesus abordou os incidentes de Alcochete pela primeira vez. Em entrevista à Bola TV, o treinador português, agora no Al Hilal da Arábia Saudita, falou do medo que viveu naqueles momentos. Jorge Jesus disse também que não fecha a porta a nenhum clube em Portugal.

  • Benfica promete queixa-crime contra quem divulgou contratos de Castillo e Ferreyra
    1:26

    Desporto

    Um blog divulgou na internet os valores dos contratos de dois dos reforços do Benfica, Castillo e Ferreyra. O clube da Luz promete agir judicialmente contra quem divulgou estas informações. A SIC sabe que devido à gravidade dos factos a Liga de Clubes está a considerar suspender os funcionários da instituição até que este caso seja esclarecido.

  • Santana diz que a concorrência é livre
    0:52
  • Donald Trump envolvido em mais uma polémica
    1:49
  • 20 quilómetros até ao trabalho valeu um carro

    Mundo

    Quando o carro de Walter Carr deixou de funcionar um dia antes do primeiro dia de trabalho numa empresa de mudanças, ele não desistiu nem ligou a dizer que ia faltar. Saiu de casa à meia-noite e fez mais de 20 quilómetros a pé para chegar a horas. No final recebeu uma recompensa.

    SIC