sicnot

Perfil

Mundo

Caracas condena ameaças "racistas" de Donald Trump

Shannon Stapleton

O ministro venezuelano de Relações Exteriores, Jorge Arreaza, condenou esta terça-feira as ameaças "racistas" do Presidente dos EUA, Donald Trump, contra Caracas e acusou Washington de querer uma "mudança de regime, pela força" na Venezuela.

"Nós não aceitamos as ameaças do Presidente Trump, que já ameaçou a Venezuela com uma ação militar. O nosso país é um país de paz, de bem, e nenhum líder do mundo pode vir questionar a nossa democracia, a nossa soberania", disse.

Jorge Arreaza falava aos jornalistas, à margem da Assembleia-Geral das Nações Unidas, depois de o Presidente Donald Trump ter dito que a Venezuela "está a colapsar", uma situação sobre a qual os países vizinhos "não podem ficar à margem", exortando-os a intervir no país para ajudar os venezuelanos a "recuperarem a sua paz, o seu país e a sua democracia".

"Enquanto ele [Trump] amassava a sua fortuna nos últimos anos, no sistema capitalista, nós estávamos construindo uma revolução democrática, constitucional, socialista que se fundamenta em eleições", disse.

Segundo Jorge Arreaza, durante a sua intervenção na ONU, Donald Trump, "não fez mais que promover ações belicistas, a destruição de determinados países", entre as quais a Venezuela.

"Se há um sistema que tem fracassado e que tem o mundo à beira de um colapso com as mudanças climáticas, a fome, o sofrimento, é o sistema capitalista e nós temos o direito de construir o nosso socialismo democrático", disse, vincando que o liberalismo económico levou o mundo à miséria.

Por outro lado, acusou os EUA de violarem "os princípios estabelecidos na Carta das ONU, ao atuar de maneira grosseira, desrespeitadora e ingerente contra a soberania e independência dos povos do mundo".

Segundo Jorge Arreaza, o Governo dos EUA e os seus aliados "pretendem asfixiar e afogar o povo venezuelano com medidas económicas" impostas pela Casa Branca, que quer que "o povo sofra, criar e impor uma crise humanitária no país".

Hoje, durante a sua intervenção na ONU, Donald Trump disse que "o povo venezuelano está esfomeado e isso é inaceitável"

Lusa

  • "Quem faz isto sabe estudar os dias e o vento para arder o máximo possível"
    4:15
  • O balanço trágico dos incêndios do fim de semana
    0:51

    País

    Mais de 500 mil hectares de área ardida, 42 vítimas mortais, 71 de feridos, dezenas de casas e empresas destruídas. É este o balanço de mais um fim de semana trágico para Portugal a nível de incêndios florestais.

  • 2017: o ano em que mais território português ardeu
    1:41

    País

    Desde janeiro, houve mais área ardida do que em qualquer outro ano na história registada de incêndios florestais. Segundo dados provisórios do Sistema Europeu de Informação sobre Fogos Florestais, mais de 519 mil hectares foram consumidos pelas chamas até 17 de outubro, o que representa quase 6% de toda a área de Portugal. 

  • "Viverei com o peso na consciência até ao último dia"
    3:00
  • O que resta de Tondela depois dos incêndios
    1:07

    País

    O concelho de Tondela é agora um mar de cinzas, imagens recolhidas pela SIC com um drone mostram bem a dimensão do que foi destruído pelos incêndios. Perto 100 habitações principais ou secundárias, barracões, oficinas e stands arderam. 

  • Moradores reuniram esforços para salvar idosos das chamas em Pardieiros
    2:50

    País

    O incêndio de domingo em Nelas fez uma vítima mortal: um homem de 50 anos, de Caldas da Felgueira, que regressava de uma aldeia vizinha, onde tinha ido ajudar a combater as chamas. Em Pardieiros, no concelho de Carregal do Sal, várias casas arderam e uma jovem sofreu queimaduras ao fugir do incêndio. Durante o incêndio, pessoas reuniram esforços para salvar a povoação.

  • A fotografia que está a correr (e a impressionar) o Mundo

    Mundo

    A fotografia de uma cadela a carregar, na boca, o cadáver calcinado da cria está a comover o mundo. Entre as muitas fotografias que mostram o cenário causado pelos incêndios que devastaram a Galiza nos últimos dias, esta está a causar especial impacto. O registo é do fotógrafo Salvador Sas, da agência EFE. A imagem pode impressionar os mais sensíveis.

  • As lágrimas do primeiro-ministro do Canadá

    Mundo

    O primeiro-ministro da Canadá, Justin Trudeau, emocionou-se esta quarta-feira ao falar de um artista que morreu depois de perder uma luta contra o cancro. Gord Downie, vocalista da banda de rock canadiana "The Tragically Hip", faleceu esta terça-feira, aos 53 anos, vítima de um tumor cerebral.