sicnot

Perfil

Mundo

Coreia do Norte acusa imprensa do PC Chinês de se curvar perante os EUA

Soldados carregam bandeiras do Partido Comunista Chinês.

China Stringer Network

A Coreia do Norte acusou hoje a imprensa oficial do Partido Comunista Chinês (PCC) de se curvar perante os Estados Unidos, ao criticar o programa nuclear do regime de Kim Jong-un.

A agência noticiosa oficial norte-coreana KCNA disse que o Diário do Povo, jornal oficial do PCC, e outra imprensa estatal chinesa, "submetem-se às ações ignorantes da Administração de Trump".

O comentário difundido pela KCNA mencionou, entre outros exemplos, que o Diário do Povo escreveu que o programa nuclear norte-coreano é um "nó de forca colocado no próprio pescoço do país".

A imprensa do PCC está "abertamente a recorrer à interferência nas questões internas de outro país", afirmou, acrescentando que os jornais chineses "estão a falhar" na sua missão jornalística, ao não cumprirem os princípios "essenciais de objetividade e imparcialidade".

"Seria melhor se se preocupassem com a sua própria vida, em vez de imprudentemente apontar o dedo a outros", escreveu a agência norte-coreana.

A China é o principal aliado diplomático e parceiro comercial da Coreia do Norte. Além da afinidade ideológica, Pequim e Pyongyang combateram lado a lado na Guerra da Coreia (1950-53).

Nos mapas chineses impressos até há cerca de 20 anos, a península coreana correspondia a apenas um país, a Republica Democrática Popular da Coreia, com a capital em Pyongyang. Seul tinha então o estatuto de cidade de província.

A China tem-se, no entanto, distanciado do país vizinho, devido à sua insistência em avançar com um controverso programa nuclear e de mísseis balísticos.

Desde que ascendeu ao poder, em 2013, o Presidente da China, Xi Jinping, nunca se encontrou com Kim Jong-un, tendo-se mesmo tornado no primeiro líder chinês a visitar a Coreia do Sul antes de ir à Coreia do Norte.

Lusa

  • Trump "vai pagar caro", Pyongyang ameaça lançar bomba H no Pacífico

    Mundo

    O chefe da diplomacia norte-coreana disse hoje que o seu país poderá lançar, como forma de teste, uma bomba nuclear de hidrogénio para o Oceano Pacífico, como parte da "resposta ao mais alto nível" contra os EUA. Antes disso, o líder norte-coreano tinha também reagido ao discurso de Donald Trump na ONU e disse que o Presidente dos EUA demonstra um "comportamento de pessoa mentalmente perturbada". Kim Jong-un afirmou ainda que Trump "vai pagar caro" pelas ameaças contra o seu país.

  • Trump anuncia novas sanções à Coreia do Norte mas não revela quais
    1:58

    Mundo

    O Presidente norte-americano disse esta quinta-feira que os Estados Unidos vão impor mais sanções à Coreia do Norte, além das que foram recentemente aprovadas pelo Conselho de Segurança da ONU. O ministro dos Negócios Estrangeiros norte-coreano diz que as ameaças de Trump são como os "latidos de um cão". 

  • Caixa multibanco assaltada em Portugal a cada dois dias
    2:43

    País

    O semanário Expresso conta que a mulher que morreu vítima de um disparo de agentes da PSP foi atingida pelas costas. O caso está a ser investigado pela PJ, que procura encaixar as peças da noite que acabou com uma morte inocente mas que começou com uma perseguição a um grupo de assaltantes de um multibanco. Assaltos que são cada vez mais comuns e que preocupam o Governo. A cada dois dias, uma caixa é assaltada.

  • Metro de Lisboa vai reduzir consumo de água

    País

    O Metro de Lisboa colocou em prática um programa para reduzir o consumo de água devido à situação de seca em Portugal, respondendo assim ao apelo do Ministério do Ambiente, segundo um comunicado divulgado este sábado.