Mundo

Coreia do Norte acusa imprensa do PC Chinês de se curvar perante os EUA

Soldados carregam bandeiras do Partido Comunista Chinês.

China Stringer Network

A Coreia do Norte acusou hoje a imprensa oficial do Partido Comunista Chinês (PCC) de se curvar perante os Estados Unidos, ao criticar o programa nuclear do regime de Kim Jong-un.

A agência noticiosa oficial norte-coreana KCNA disse que o Diário do Povo, jornal oficial do PCC, e outra imprensa estatal chinesa, "submetem-se às ações ignorantes da Administração de Trump".

O comentário difundido pela KCNA mencionou, entre outros exemplos, que o Diário do Povo escreveu que o programa nuclear norte-coreano é um "nó de forca colocado no próprio pescoço do país".

A imprensa do PCC está "abertamente a recorrer à interferência nas questões internas de outro país", afirmou, acrescentando que os jornais chineses "estão a falhar" na sua missão jornalística, ao não cumprirem os princípios "essenciais de objetividade e imparcialidade".

"Seria melhor se se preocupassem com a sua própria vida, em vez de imprudentemente apontar o dedo a outros", escreveu a agência norte-coreana.

A China é o principal aliado diplomático e parceiro comercial da Coreia do Norte. Além da afinidade ideológica, Pequim e Pyongyang combateram lado a lado na Guerra da Coreia (1950-53).

Nos mapas chineses impressos até há cerca de 20 anos, a península coreana correspondia a apenas um país, a Republica Democrática Popular da Coreia, com a capital em Pyongyang. Seul tinha então o estatuto de cidade de província.

A China tem-se, no entanto, distanciado do país vizinho, devido à sua insistência em avançar com um controverso programa nuclear e de mísseis balísticos.

Desde que ascendeu ao poder, em 2013, o Presidente da China, Xi Jinping, nunca se encontrou com Kim Jong-un, tendo-se mesmo tornado no primeiro líder chinês a visitar a Coreia do Sul antes de ir à Coreia do Norte.

Lusa

  • Trump "vai pagar caro", Pyongyang ameaça lançar bomba H no Pacífico

    Mundo

    O chefe da diplomacia norte-coreana disse hoje que o seu país poderá lançar, como forma de teste, uma bomba nuclear de hidrogénio para o Oceano Pacífico, como parte da "resposta ao mais alto nível" contra os EUA. Antes disso, o líder norte-coreano tinha também reagido ao discurso de Donald Trump na ONU e disse que o Presidente dos EUA demonstra um "comportamento de pessoa mentalmente perturbada". Kim Jong-un afirmou ainda que Trump "vai pagar caro" pelas ameaças contra o seu país.

  • Trump anuncia novas sanções à Coreia do Norte mas não revela quais
    1:58

    Mundo

    O Presidente norte-americano disse esta quinta-feira que os Estados Unidos vão impor mais sanções à Coreia do Norte, além das que foram recentemente aprovadas pelo Conselho de Segurança da ONU. O ministro dos Negócios Estrangeiros norte-coreano diz que as ameaças de Trump são como os "latidos de um cão". 

  • "Eu disse 'seria' quando queria dizer 'não seria'"
    1:34
  • "Não deveria ter aceitado jogar naquela final"
    1:40

    Desporto

    Jorge Jesus abordou os incidentes de Alcochete e da final da Taça de Portugal, pela primeira vez. Em entrevista à Bola TV, o treinador português, agora no Al Hilal da Arábia Saudita, falou do medo que viveu naqueles momentos. Jorge Jesus disse também que não fecha a porta a nenhum clube em Portugal.

  • Santana diz que a concorrência é livre
    0:52

    País

    Santana Lopes sublinha que quer causar o menor dano possível ao PSD com a criação de um novo partido. O antigo primeiro-ministro diz no entanto que, apesar disso, a concorrência é livre. Isto depois de um estudo feito pela Eurosondagem mostrar que 4,8% dos inquiridos votaria num novo partido de Santana Lopes. O político diz que o número é inspirador, mas não adianta certezas sobre os próximos passos.

  • Marcelo volta a levantar dúvidas sobre 2.º mandato
    2:11
  • Marcelo acredita na livre circulação no espaço da CPLP
    0:45

    País

    O Presidente da República que avançar na proposta da mobilidade de cidadãos no espaço da CPLP. Na noite de terça-feira, no discurso que fez na abertura da Cimeira de Cabo Verde, Marcelo não esqueceu as mudanças no sentido da democracia e valores que se concretizaram desde a última cimeira, em Brasília, há dois anos.

  • Veleiro preso em cabos elétricos na Ria de Aveiro
    1:39

    País

    O mastro de um veleiro embateu e ficou preso num cabo elétrico. O incidente, sem consequências para a tripulação de nacionalidade dinamarquesa ocorreu, ao fim da tarde de terça-feira, na ria de Aveiro.