sicnot

Perfil

Mundo

Trump insiste: "a política não funcionou" com a Coreia do Norte

Aaron Bernstein/ Reuters (Arquivo)

O Presidente norte-americano insistiu hoje que a política usada pelos Estados Unidos para lidar com a Coreia do Norte não tem funcionado, frisando que Washington deu "mil milhões de dólares" sem receber nada em troca.

"O nosso país tem vindo a lidar sem sucesso com a Coreia do Norte durante 25 anos, dando mil milhões de dólares e sem receber nada. A política não funcionou!", escreveu hoje Donald Trump numa nova mensagem na rede social Twitter.

Nos últimos dias, o líder norte-americano tem publicado um conjunto de mensagens no Twitter, a par de declarações públicas, que têm reforçado a possibilidade de uma ação militar dos Estados Unidos contra a Coreia do Norte.

No sábado, também no Twitter, Trump publicou uma mensagem em que afirmou que "só uma solução resultará" com a Coreia do Norte, mas sem fornecer mais pormenores.

"Os Presidentes e os seus governos andam há 25 anos a falar da Coreia do Norte", escreveu então Trump, acrescentando que "os acordos passados e as enormes quantias de dinheiro gastas não sortiram efeito".

"Os acordos foram violados antes mesmo de a tinta secar. Tenho muita pena, mas só uma coisa resultará", concluiu.

Dias antes, na quinta-feira durante uma receção na Casa Branca, Trump fez outra declaração evasiva, sem a explicar: "Talvez seja mesmo a calmaria antes da tempestade".

O chefe de Estado norte-americano tinha acabado de participar numa reunião com os principais responsáveis militares do país para debater os assuntos sensíveis do momento, entre os quais o Irão e a Coreia do Norte.

No dia seguinte, e questionado pela imprensa sobre essa declaração, o Presidente respondeu apenas: "Vocês vão ver".

Também no Twitter, e perante a confirmação do secretário de Estado (Rex Tillerson) da existência de contactos entre os Estados Unidos e a Coreia do Norte, Trump reagiu: "Disse ao Rex Tillerson, o nosso maravilhoso secretário de Estado, que ele está a perder o seu tempo a negociar". "Poupa a tua energia, Rex, nós faremos o que temos de fazer", disse então.

Nos últimos meses, Trump e o líder norte-coreano, Kim Jong-un, têm estado envolvidos numa escalada de retórica que progressivamente fica mais violenta e bélica, com ambos a lançarem ameaças de um ataque nuclear.

Numa entrevista publicada no domingo passado pelo jornal The New York Times, o senador republicano Bob Corker disse que Trump arrisca colocar os Estados Unidos "no caminho da terceira guerra mundial" com as suas ameaças a determinados países.

Lusa

  • "Cada drama, cada problema, cada testemunho, impressiona muito"
    1:55
  • Clínica veterinária em Tondela recebeu dezenas de animais feridos nos fogos
    2:57
  • Temperaturas sobem até ao final do mês
    1:09

    País

    O tempo não dá tréguas e, até ao final do mês, as temperaturas vão atingir valores acima do normal para esta época do ano. As temperaturas máximas vão subir entre os 25 e os 32 graus. O risco de incêndio aumenta a partir desta segunda-feira em todo o país e os meios aéreos, viaturas, operacionais e equipas de patrulha vão ser reforçados.

  • A história por detrás da fotografia que correu (e impressionou) o Mundo

    Mundo

    Depois dos incêndios da semana passada na Galiza, começou a circular na internet e nas redes sociais a imagem de uma cadela que alegadamente levava a sua cria carbonizada na boca. Contudo, a cadela é na verdade macho e chama-se Jacki. Esta é a história do cão que passou os dias após os fogos a recolher animais mortos para os enterrar num campo perto de uma igreja, em Coruxo, Vigo.

    SIC

  • Quando o cão de Macron fez chichi no gabinete do Presidente francês
    0:31
  • 245 saltam de ponte de 30m no Brasil para Recorde do Guiness
    1:56
  • Antigos presidentes dos EUA angariam 26 milhões para vítimas dos furacões
    0:58

    Mundo

    Os cinco antigos presidentes dos Estados Unidos da América ainda vivos juntaram-se para ajudar as vítimas dos furacões. Bill Clinton e Barack Obama lembraram as vítimas dos furacões e elogiaram o espírito solidário dos norte-americanos. Os antigos presidentes norte-americanos lançaram o apelo no início do mês passado e já conseguiram angariar cerca de 26 milhões de euros.