sicnot

Perfil

Mundo

Ex-Presidente argentina Cristina Kirchner rejeita acusações de crimes económicos

(Arquivo)

Marcos Brindicci

A ex-Presidente argentina Cristina Kirchner rejeitou esta quinta-feira as acusações judiciais de crimes económicos alegadamente cometidos aquando do exercício do cargo, no período de 2007 a 2015.

Em texto entregue na Justiça e difundido pela ex-Presidente nas redes sociais mais tarde, Cristina Kirchner negou as práticas que lhe são imputadas de branqueamento de capitais e pagamento de subornos num caso que envolve um hotel da família de um antigo dirigente da esquerda argentina, na Patagónia, no sul do país.

Recentemente eleita senadora, o que não permite a prisão em caso de condenação, Cristina Kirchner requereu ao juiz Julian Ercolini a suspensão do processo, com o fundamento que, em "sete decisões judiciais, pelo menos, foram analisados os factos e qualquer atividade ilegal foi descartada".

A ex-Presidente vincou que deseja "evitar o 'show' mediático" e pediu aos apoiantes para não se reunirem em frente ao tribunal, como a 01 de novembro, em ação de apoio.

Convocada para comparecer hoje em tribunal, Kirchner chegou uma hora e meia antes da convocatória e, após ter entregue o texto, não respondeu a qualquer pergunta, num processo em que os filhos Maximo, de 40 anos, e Florência, de 27, são testemunhas.

"É um novo capítulo da perseguição judicial ordenado pelo Presidente Maurício Macri", que sucedeu a Kirchner no final de 2015, denunciou Florência na rede social Twitter.

Vários membros do Governo Kirchner foram detidos por acusações de corrupção nas últimas semanas, incluindo Julio De Vido, ex-ministro do Planeamento, e Amado Boudou, vice-Presidente de 2011 a 2015.

Lusa

  • Novo Banco vai reestruturar dívida de Luís Filipe Vieira
    1:22

    Desporto

    O Novo Banco vai reestruturar parte da dívida da empresa de Luís Filipe Vieira, que ronda os 400 milhões de euros. Parte dos ativos da empresa foram transferidos para um fundo para serem rentabilizados no prazo de cinco anos. Esse fundo está a ser gerido pelo vice-presidente do Benfica.

  • Dono de fábrica que ardeu na Anadia diz que produção não vai ser afetada
    2:04
  • Saco azul do BES pagou a 106 pessoas e 96 avenças ocultas
    2:21

    Economia

    Pelo menos 106 pessoas receberam dinheiro da Espírito Santo Enterprises, a companhia offshore criada nas Ilhas Virgens Britânicas e que terá funcionado como um gigantesco saco azul do Grupo Espírito Santo. O jornal Expresso revelou os primeiros vinte nomes da lista, entre os quais estão Zeinal Bava, antigo CEO da PT, e Manuel Pinho, ex-ministro da economia do Governo de José Sócrates.

  • Tragédia em Vila Nova da Rainha aconteceu há uma semana
    7:18
  • Doze meses de polémicas, ameaças e promessas
    3:52