sicnot

Perfil

Mundo

Leões com comportamentos gay "precisam de terapia, estão possuídos por demónios"

O responsável pelo Kenya Film Classification Board (KFCB), entidade que atribui pontuações aos filmes antes de serem lançados naquele país africano, reagiu a uma imagem de dois leões machos em posição de acasalamento e a observação que fez não foi aceite por todos. Ezekiel Mutua atribui a responsabilidade ao turismo gay ou... a demónios.

No passado dia 2 de novembro, Ezekial Mutua publicou uma entrevista ao canal de notícias Naibori News, na sua conta do Twitter, em que falava sobre uma imagem da cópula entre dois leões machos no Parque Natural de Masai Mara, no Quénia.

"Os cientistas deviam estudar este comportamento estranho. Tal como nos seres humanos, o objetivo principal do sexo é a procriação", escreveu Ezekial Mutua na legenda da publicação.

Mutua alertou ainda que "Se os leões começam com este comportamento homossexual, então será certamente o fim das espécies animais" e sugeriu que os os leões fossem isolados.

Segundo o El País, as palavras de Mutua provocaram uma onda de revolta e indignação nas redes sociais.

"Vai isolar os leões sozinho, se é homem para isso", comentou um utilizador.

O responsável pelo Kenya Film Classification Board explicou que, de acordo com o seu ponto de vista, só existiam duas razões para os leões se comportarem assim: ou observaram os casais gay que visitam o parque, ou estão possuídos por "forças demoníacas".

Mutua é conhecido no Quénia por ser contra a comunidade LGBT e por proibir qualquer filme ou série em que a homossexualidade seja abordada, seja qual for a forma.

Um outro utilizador do Twitter escreveu que Mutua devia "proibir os programas com robôs, violência e tiros que também são ilegais no Quénia".

Oiça aqui a entrevista na íntegra:

Recentemente, o Disney Channel lançou a segunda temporada do programa Andi Mack, que fala sobre a identidade sexual de uma das personagens principal. A série foi proibida de passar no Quénia porque, segundo Mutua, "as crianças devem receber informação de que uma família consiste na união entre pessoas do sexo oposto. "Nenhum programa infantil com conteúdo gay será transmitido no país", acrescentou.