sicnot

Perfil

Mundo

A atrapalhação de Trump em aperto de mão nas Filipinas

O Presidente norte-americano Donald Trump esteve esta segunda-feira no centro - literal e figuradamente - de um aperto de mão que, apesar de tradicional no sudeste asiático, tornou-se peculiar, muito por causa do próprio Trump.

O momento aconteceu durante um encontro da Asean (sigla inglesa para designar a Associação de Nações do Sudeste Asiático) em Manila, capital das Filipinas.

No momento em que os líderes dos diferentes países faziam o aperto de mão coletivo - tradicional naquela região do globo -, Trump atrapalhou-se e cruzou simplesmente os braços à frente do corpo, quando antes tinham sido dadas instruções sobre o cumprimento, no qual os líderes se colocam lado a lado e usam a mão direita para cumprimentar a pessoa à esquerda e vice-versa:

Andrew Harnik

Ao aperceber-se do erro, depois de olhar para os restantes líderes que o perfilavam, Trump acabou por fazer o movimento correto mas sem conseguir apertar devidamente as mãos do primeiro-ministro do Vietname, Nguyen Xuan (à esquerda) e do Presidente filipino, Rodrigo Duterte:

Noel Celis

A CNN considera mesmo que este poderá ter sido "o cumprimento presidencial mais embaraçoso de sempre".

O Presidente norte-americano não foi o único a quebrar o protocolo. Também o primeiro-ministro russo, Dmitry Medvedev, optou por cumprimentar os colegas sem sequer cruzar os braços:

Andrew Harnik

Donald Trump cumpre uma visita oficial de 12 dias ao continente asiático.

  • Trump cumpre visita de 10 dias à Ásia
    2:03

    Mundo

    Donald Trump partiu esta sexta-feira em viagem oficial a vários países asiáticos, onde a questão norte-coreana será tema central dos encontros com os homólgos. O Presidente norte-americano vai estar ausente durante 10 dias, num momento particularmente atribulado para a administração norte-americana.

  • Trump reforça discurso contra Pyongyang à chegada ao Japão
    0:21

    Mundo

    Donald Trump já chegou ao Japão, onde cumpre a primeira etapa da viagem pela Ásia. O Presidente dos Estados Unidos foi recebido pelo homologo japonês que o convidou para inicar a visita com uma partida de golfe. A deslocação de Trump vai durar mais de uma semana e é a mais longa de um Presidente norte-americano, na Ásia, nos últimos 25 anos. O programa nuclear da Coreia do Norte vai marcar grande parte dos encontros e das negociações. À chegada ao Japão, Trump fez questão de reforçar a retórica contra o regime de Pyongyang e garantiu que os Estados Unidos e os aliados estão preparados para defender a liberdade.

  • "Fiz mais em 9 meses do que outros presidentes num mandato completo"
    1:49

    Mundo

    O Presidente dos Estados Unidos parte hoje para a Coreia do Sul, o segundo país da visita oficial de 10 dias à Ásia. Na próxima quarta-feira faz um ano que Donald Trump venceu as eleições. No Japão, o chefe da Casa Branca destacou a descida do desemprego e o desempenho da bolsa. Trump disse ainda que fez mais em 9 meses para diminuir a burocracia do país para as empresas, do que outros presidentes num mandato inteiro.

  • Trump afirma que há "uma nova vaga de otimismo" nos EUA
    0:40

    Mundo

    Donald Trump está no Vietname para a cimeira de líderes dos países do Fórum de Cooperação Económica Ásia-Pacífico (APEC). Esta é a quinta paragem do Presidente dos Estados Unidos durante a visita oficial de 12 dias ao continente asiático. À chegada, Trump falou numa era de "novo otimismo" nos Estados Unidos e no mundo, desde que foi eleito.

  • Trump reafirma posição contra globalização comercial
    1:35

    Mundo

    O Presidente norte-americano continua na Ásia. Donald Trump chegou esta manhã ao Vietname para participar na cimeira do Forum de Cooperação Económica Ásia-Pacífico. E já avisou que os Estados Unidos não vão continuar a alinhar na chamada globalização. Horas antes, participou numa cerimónia para assinalar os 50 anos da guerra com o Vietname.

  • "Falta reciprocidade entre EUA e países asiáticos"
    8:03

    Opinião

    Luís Costa Ribas, correspondente da SIC nos Estados Unidos, tem seguido atentamente a visita de Donald Trump à Ásia. O correspondente falou sobre o discurso feito do presidente norte-americano esta sexta-feira no Vietname, durante o qual Trump voltou a criticar de forma agressiva os países que se aproveitam dos EUA, salientando a "relação comercial desequilibrada". Isto porque os EUA abrem mercados e fronteiras, enquanto que outros não fazem o mesmo realçando a "falta de reciprocidade entre EUA e países asiáticos".

  • Vitória de Guimarães na Áustria em busca do apuramento na Liga Europa
    1:47
  • Árbitros recuam e vão apitar jogos do próximo fim de semana

    Desporto

    Os árbitros recuaram esta quarta-feira na intenção de não comparecer nos jogos do próximo fim de semana. Depois de na terça-feira a maioria dos juízes terem apresentado um pedido de dispensa dos jogos da 12.ª jornada do campeonato, esta quarta-feira adiaram a decisão após uma reunião com o Conselho de Arbitragem.

  • Comprar um carro em segunda mão sem ser enganado 
    8:44
  • O que aprendemos com secas anteriores?
    32:50

    País

    A água é um recurso essencial para todos os organismos vivos, comunidades e atividades económicas. Num país com situações de secas recorrentes, que tendem a ser agravadas pelas alterações climáticas, o que aprendemos com anteriores episódios de escassez de água? Como usar a água para que não falte no futuro? "Água Sob Pressão" foi o tema desta Grande Reportagem, de Carla Castelo (jornalista), Manuel Ferreira (Imagem), Gonçalo Freitas (Edição de imagem), Paulo Alves (Grafismo) e Isabel Mendonça (Produção), exibida na SIC em julho de 2012 (que também foi um ano de seca, ainda que menos grave do que a atual).

  • Jorge Jesus e Ana Malhoa contra o consumo de sal
    1:21
  • Diminuem as hipóteses de salvar os tripulantes a bordo do submarino argentino
    3:09

    Mundo

    As hipóteses de salvar os tripulantes a bordo do submarino argentino, desaparecido há 8 dias, começaram a diminuir, uma vez que o chamado "tempo de segurança" já foi ultrapassado. A Marinha portuguesa está a acompanhar o caso do submarino que está desaparecido há oito dias. As hipóteses de salvar os tripulantes vão diminuindo.