Mundo

Liberdade na internet cai pelo sétimo ano consecutivo

Gleb Garanich

A liberdade na internet caiu pelo sétimo ano consecutivo no mundo, devido a um aumento "drástico" das tentativas de muitos governos em manipular a informação das redes sociais, um fenómeno que afetou 18 eleições, foi anunciado esta terça-feira.

Esta é a principal conclusão do relatório anual sobre a liberdade na internet, produzido pela organização independente Freedom House (FH), apresentado hoje em Washington, capital dos Estados Unidos da América, de acordo com a agência de notícias espanhola EFE.

"O uso de comentadores pagos e de máquinas políticas para a difusão automática de propaganda governamental teve início na China e na Rússia, mas agora tornou-se global. Os efeitos destas técnicas de disseminação rápida sobre a democracia e o ativismo cívico são potencialmente devastadores", explica o presidente da FH.

O relatório "Liberdade na Internet 2017" debruça-se sobre o período entre junho de 2016 e maio deste ano e avalia a situação em 65 países, que representam 87% dos internautas do mundo.

"Os governos estão a usar as redes sociais para reprimir a dissidência e promover uma agenda antidemocrática", frisa Sanja Kelly, diretora do projeto "Liberdade na Net".

"Não é só difícil detetar essa manipulação, mas é mais difícil de combater do que outros tipos de censura, como o bloqueio de 'sites', porque está disperso, e devido ao grande número de pessoas e máquinas automáticas de propaganda implantados para fazê-lo", acrescentou.

As táticas de manipulação e de desinformação na internet desempenharam um papel importante nas eleições em pelo menos 18 países, incluindo os Estados Unidos, "o que prejudicou a capacidade dos cidadãos de eleger os seus líderes com base em notícias objetivas e debates autênticos", destaca o relatório.

Além disso, "a fabricação de apoio popular nas redes sociais para as políticas governamentais cria um ciclo fechado em que o regime se protege a si próprio, deixando de fora grupos independentes e cidadãos comuns", defende Sanja Kelly.

A manipulação de conteúdos em linha contribuiu, assim, para um sétimo ano consecutivo de declínio geral na liberdade na internet, juntamente com o aumento das interrupções do serviço de internet móvel e o aumento dos ataques físicos e técnicos contra defensores dos direitos humanos e órgãos de comunicação social independentes.

Os governos de um total de 30 países implantaram "alguma forma de manipulação" para distorcer a informação na internet.

Lusa

  • Três sportinguistas analisam entrevista de Bruno de Carvalho
    1:29
  • Manuel Pinho não terá declarado dinheiro que recebeu
    2:45

    Economia

    Manuel Pinho não terá declarado ao Tribunal Constitucional o dinheiro que recebeu do chamado saco azul do Grupo Espírito Santo. Esta terça-feira, no Parlamento, o antigo ministro da Economia de José Sócrates foi questionado sobre o assunto mas recusou responder.

  • Ora Eça!

    Opinião

    Eça, o meu conterrâneo que se definia como sendo "apenas um pobre homem da Póvoa de Varzim" não haveria de gostar de nada que fosse obrigatório. Durante décadas, Os Maias lá estiveram, quem sabe numa progressista lista pós-revolução, dada a natureza "sexual e incestuosa" da obra. Sai dessa lista agora. Claro que sai. "Ninguém" gostava de "ter de" ler Os Maias.

    Pedro Cruz

  • Jovens tailandeses poderão vir a sofrer de transtornos a longo prazo
    2:30

    Mundo

    Os 12 rapazes e o treinador resgatados de uma gruta da Tailândia já tiveram alta. Uma semana depois, saíram do hospital e deram uma conferência de imprensa em que se mostraram sorridentes. No entanto, os especialistas advertem que poderão vir a sofrer de transtornos a longo prazo, se forem obrigados recorrentemente a reviver tudo o que passaram.

  • Os portugueses que se cruzaram na vida de Mandela
    2:19
  • Cem anos de Mandela: o legado de um "gigante da História"

    Mundo

    Na história da Humanidade contam-se muito poucas figuras capazes de gerar uma aclamação unânime e global de elogio e agradecimento. Nelson Mandela está nessa lista de eleitos. No dia em que completaria 100 anos, recordamos o legado de "Madiba", um dos maiores impulsionadores da paz que este mundo já conheceu.

    André de Jesus

  • Será este o táxi mais autografado do mundo?
    2:27
  • Quem é a mais recente líder da Sonae?
    2:16
  • Rádio Escuta dá voz aos imigrantes que vivem em Lisboa
    4:02

    País

    Uma rádio comunitária está no ar, por estes dias, no bairro do Intendente, em Lisboa. O projeto é temporário e termina no próximo domingo. Mas até lá, a Rádio Escuta chega a mais de 100 países, pela internet, e dá voz aos imigrantes de diversas origens que vivem em Lisboa.

  • Lisboa vai ser Capital Verde da Europa em 2020
    2:54

    País

    O vereador do Ambiente de Lisboa quer envolver todos os cidadãos, empresas e agentes culturais na Capital Verde da Europa em 2020. Lisboa é a primeira cidade do sul da Europa a conseguir a distinção e, até lá, a Câmara promete um conjunto de investimentos para tornar a capital portuguesa um exemplo na área ambiental. Um deles é a construção de uma central solar.

  • Donald Trump em nova polémica

    Mundo

    O presidente dos Estados Unidos da América, Donald Trump, fez estalar uma nova polémica ao chamar ao Montenegro um "país muito pequeno" cujos habitantes são "muito agressivos" e por parecer questionar o princípio da defesa mútua dentro da NATO.

  • Urso apanhado na piscina de moradia de luxo na Califórnia
    1:35