sicnot

Perfil

Mundo

Hamas apela a uma nova Intifada

O líder do Hamas, Ismail Haniyeh, convocou o início da terceira Intifada (revolta) e o Conselho de Segurança da ONU reuniu-se de urgência em Nova Iorque para analisar o anúncio de Trump.

Mohammed Salem

O movimento islâmico Hamas incitou hoje a uma nova revolta popular palestiniana contra a decisão do Presidente norte-americano, Donald Trump, que reconheceu Jerusalém como a capital de Israel.

Última atualização às 9:30

"Só podemos enfrentar a política sionista - apoiada pelos Estados Unidos - lançando uma nova Intifada", disse o líder do Hamas, Ismail Haniyeg, num discurso na Faixa de Gaza.

Donald Trump reconheceu esta quarta-feira Jerusalém como capital de Israel, uma decisão única no mundo, que representa uma rutura em relação a décadas de neutralidade da diplomacia norte-americana no processo de paz israelo-palestiniano.

Protestos contra decisão dos EUA

A comunidade internacional alertou ontem para um eventual aumento da violência no Médio Oriente e teme que o processo de paz entre israelitas e palestinianos fique em risco.

A decisão do Presidente norte-americana está a ser contestada um pouco por todo o mundo, sobretudo pelos palestinianos que ambicionam que a zona oriental de Jerusalém seja a capital do futuro estado.

Saiba mais: Porque é que Jerusalém é tão importante?

Em Gaza, milhares de pessoas saíram à rua e queimaram bandeiras de Israel e EUA. Em Ramalah, na Cisjordânia, também houve vários protestos.

No Líbano, as manifestações juntaram centenas de pessoas em defesa da causa palestiniana. E na Turquia também houve tumultos com palavras de ordem contra o poderio de Israel e gritos pela libertação da Palestina.



Com Lusa