Mundo

Guterres reitera apelo à calma no Irão e pede respeito pelo direito de manifestação

O secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, pediu hoje que "a violência seja evitada" no Irão, exortando as autoridades de Teerão a respeitarem o direito de manifestação e a liberdade de expressão do povo iraniano.

Em declarações aos jornalistas, um porta-voz das Nações Unidas, Farhan Aziz Haq, afirmou que António Guterres - que já se tinha pronunciado na terça-feira sobre a atual situação no território iraniano - está "preocupado com os últimos desenvolvimentos no Irão" e exorta as autoridades de Teerão "a respeitarem o direito de manifestação pacífica e a liberdade de expressão".

O secretário-geral da ONU "lamenta a perda de vidas em manifestações", disse Farhan Aziz Haq, repetindo as palavras proferidas na terça-feira em representação de António Guterres, também em declarações à comunicação social.

O Irão é palco desde o passado dia 28 de dezembro de grandes manifestações contra a má situação económica do país e o regime dos 'ayatollahs'.

Os protestos, iniciados em Machhad (nordeste do Irão) e que rapidamente se propagaram a outros pontos do país, já levaram à morte de pelo menos 21 pessoas e à detenção de centenas de pessoas.

Lusa

  • "A bebedeira passa, o resto não!"
    2:48

    País

    O INEM socorreu mais de mil menores em coma alcoólico, no ano passado. Por isso, os adolescentes são o alvo da campanha lançada esta sexta-feira pelo Governo: "A bebedeira passa, o resto não!"

  • Sabe que pode estar a pagar 100€ a mais na fatura do gás?
    2:29

    Economia

    A maior parte das empresas fornecedoras de gás continua a cobrar aos clientes a taxa de ocupação do subsolo ao clientes, apesar da lei dizer que deve ser paga pelas empresas desde janeiro de 2017. Cada Câmara Municipal cobra o que entende e há autarquias que não cobram nada. Em alguns casos podemos estar a falar de mais de 8 euros por mês, ou seja, mais de 100 euros por ano.

  • As técnicas e o currículo polémico do Dr. Bumbum
    2:10

    Mundo

    Uma mulher morreu após uma operação aos glúteos, feita na casa de um cirurgião plástico conhecido no Brasil por Dr. Bumbum. Depois de quatro dias em fuga, o homem entregou-se às autoridades. O médico operava as mulheres em casa e no currículo tem um curso que não acabou e pós-graduações que não são reconhecidas.

  • Ir ao Douro e à Nazaré
    25:57
  • O convite que causou surpresa até na Casa Branca
    2:33