sicnot

Perfil

Mundo

Trump admite palavras "duras" mas garante: "essa não foi a linguagem usada"

Jonathan Ernst/ Reuters

Donald Trump garante que não proferiu as palavras que foram noticiadas para classificar países africanos, o Haiti ou El Salvador, durante uma reunião na Casa Branca, onde foi apresentada uma proposta de legislação sobre imigração. Num post publicado no Twitter, o Presidente dos EUA admite que a linguagem que usou foi "dura" mas que "realmente difícil" foi a proposta apresentada. A comunicação social norte-americana avançou, esta quinta-feira, que Trump recorreu ao calão, com a expressão "shithole countries" ("países de merda"), para classificar as nações em causa.

Depois das reações internacionais às declarações de Trump, que não se fizeram esperar, por parte de organizações dos países afetados e também pelas Nações Unidas, o Presidente escreveu:

Trump aproveitou o post para rejeitar as acusações de que é alvo, justificando que não usou as palavras que estão a ser noticiadas, e criticou a proposta que foi apresentada.

"O que foi realmente difícil foi a proposta extravagante apresentada - um grande revés para o DACA! [Deferred Action for Childhood Arrivals, acordo para a imigração infantil]"

Os meios de comunicação social norte-americanos, como o jornal The Washington Post, que citou fontes familiarizadas com o encontro, publicaram as declarações de Trump: "Por que razão temos todas estas pessoas de países de merda a virem para aqui?".

Paravras que, segundo os media dos EUA, foram proferidas depois de dois senadores terem apresentado a Trump um projeto de lei migratório ao abrigo do qual seriam concedidos vistos a alguns cidadãos de países que foram recentemente retirados do Estatuto de Proteção Temporária (TPS, na sigla em inglês), como El Salvador, Haiti e nações africanas.

O Presidente dos EUA respondeu recorrendo à expressão "shithole countries", uma afirmação que, apesar de ser calão foi usada pelos jornais norte-americanos que avançaram com a notícia, e também surgiu na maioria dos títulos da comunicação social europeia.

O TPS é um benefício concedido pelos Estados Unidos a imigrantes indocumentados, que não podem regressar aos países devido a conflitos civis, desastres naturais ou outras circunstâncias extraordinárias, permitindo-lhes trabalhar no país com uma autorização temporária.

  • Declarações de Trump são "ignorantes e racistas"

    Mundo

    A União Africana disse hoje "estar francamente alarmada" com as declarações do Presidente norte-americano nas quais "usa linguagem vulgar" para questionar porque é que os Estados Unidos devem aceitar mais imigrantes de países africanos, do Haiti e de El Salvador. A American Haitian Foundation qualificou de "ignorantes e racistas" os comentários feitos por Donald Trump, que classificou as nações em causa como "países de merda". A ONU também já reagiu e considerou as declarações "chocantes", "vergonhosas" e "racistas".

  • Ministro garante segurança nas escolas com uso de poliuretano
    0:52

    País

    O ministro da Educação garante que as escolas estão em segurança e que não há perigo com um material como o poliuretano. Tiago Brandão Rodrigues respondia, esta quarta-feira, a uma pergunta dos Verdes sobre a substituição de amianto nas escolas.

  • Estoril garante que estrutura da bancada não está em causa
    2:23

    Desporto

    O Laboratório Nacional de Engenharia Civil deverá emitir esta quinta-feira um parecer preliminar sobre a bancada norte do estádio do Estoril-Praia. O clube garante que a estrutura não está em causa e que, tal como a câmara de Cascais, aguarda por conclusões para uma edificação feita no vale da Amoreira.

  • Ronaldo estará mesmo de saída do Real Madrid
    2:01
  • Várias alternativas para vender a sua casa
    8:58
  • Encontradas 86 pedras preciosas numa casa em Albufeira
    0:48
  • Polícia descobre arte de esconder 750 quilos de droga em ananases
    2:25
  • Moscovo só teve seis minutos de luz solar em dezembro

    Mundo

    Os portugueses estão tão habituados ao sol, que nunca imaginariam passar um mês inteiro sem ele. O fenómeno aconteceu na capital russa. Moscovo bateu o recorde em dezembro, quando passou o mês inteiro sem luz solar direta. As pessoas de Moscovo viram o sol apenas durante seis minutos e a espreitar timidamente por entre as nuvens.

  • A maior lua de Saturno tem nível do mar tal como a Terra

    Mundo

    Titã, a maior lua de Saturno, tem uma altura média da superfície do mar, tal como a Terra, revela um estudo divulgado esta quarta-feira, que se baseia em observações feitas pela sonda norte-americana Cassini, cuja missão terminou em setembro.