sicnot

Perfil

Mundo

Mãe de Maëlys reconheceu vestido da filha no carro do suspeito

A mãe de Maëlys de Araújo, a criança de origem portuguesa desaparecida em França desde agosto passado, identificou um detalhe do vestido da filha, através das imagens videovigilância do interior do carro do suspeito.

A notícia é avançada pelo diário Le Parisien, que diz ainda que as imagens disponibilizadas pelas autoridades mostram o carro de Nordahl Lelandais, o principal suspeito de ter matado a menina luso-francesa.

As imagens captaram o Audi A3 durante a madrugada de 26 para 27 de agosto, altura em que Maëlys desapareceu, no sudeste de França.

Em dezembro, o francês de 34 anos foi formalmente acusado do assassínio de um militar, desaparecido em abril.

Nordahl Lelandais, o principal suspeito de ter matado a menina luso-francesa

Nordahl Lelandais, o principal suspeito de ter matado a menina luso-francesa

De acordo com o jornal francês, Jennifer Cleyet-Marrel, a mãe da menina de nove anos, identificou a alça do vestido branco que a menina estava a usar no dia em que desapareceu. O jornal sublinha ainda que os pais observaram as imagens duas vezes.

Na altura do desaparecimento de Maëlys, os pais da menina pediram ao suspeito para "revelar o que sabia", lançando assim um "apelo à verdade", segundo o seu advogado.

Maëlys de Araújo desapareceu na noite de 26 para 27 de agosto, quando estava numa festa de casamento, com os pais, a 85 quilómetros de Lyon, no sudeste de França.

  • Governo enfrenta vaga de contestação
    2:35

    Economia

    O Governo enfrenta uma onda de contestação. Guardas prisionais, procuradores, professores, médicos e enfermeiros descontentes ameaçam com greves nos diferentes setores, já nos meses de março e abril.

  • Proposta criação de 77 mil empregos através de uma descida da TSU
    1:23
  • Bastonário dos médicos diz que a classe deixou de acreditar no ministro da Saúde
    2:24

    País

    Desde Março do ano passado que perto de mil médicos especialistas aguardam colocação nos hospitais. O concurso, prometido várias vezes pelo ministro da Saúde, não abriu ainda por falta de autorização do Ministério das Finanças. Amanhã, quinta-feira, um grupo destes médicos vai à Assembleia da República entregar uma carta que entretanto já seguiu para os ministros da Saúde e Finanças.

  • 296 mortos em 2 dias de bombardeamentos em Ghouta Oriental
    2:16
  • Tiroteio na Florida foi o 18.º registado em meio escolar nos EUA desde janeiro
    1:25