sicnot

Perfil

Mundo

Alguns alimentos podem influenciar propagação do cancro

É difícil de acreditar? Talvez. Mas cientistas de Cambridge afirmam que existem evidências que comprovam que os alimentos podem influenciar o crescimento e a propagação do cancro.

A revista Nature publicou recentemente um estudo realizado com animais, que mostra a dificuldade que os tumores mamários sentem com a falta de asparagina.

Asparagina é um dos vinte aminoácidos mais comuns no planeta Terra. Está presente nos espargos, frutos do mar, aves e outros alimentos.

No futuro os cientistas pretendem aproveitar os "alimentos preferidos" do cancro, para melhorar o seu tratamento.

Leonhard Foeger

O estudo realizado no Cancer Research UK Cambridge Institute usou a espécie de roedores camundongo como cobaia. O mais normal seria o animal morrer em poucas semanas, depois do cancro se espalhar, mas isso não aconteceu. Quando os camundongos foram submetidos a uma dieta de baixa asparagina ou medicamentos que bloqueiam este aminoácido, o tumor teve dificuldades em espalhar-se.

"Foi uma grande mudança, os tumores foram muito difíceis de encontrar", revelou o professor Greg Hannon à BBC.

"No futuro, alterando a dieta de um paciente ou usando medicamentos que mudam a maneira como as células cancerígenas têm acesso aos nutrientes, esperamos melhorar os resultados dos tratamentos", disse Hannon.

Ainda assim os cientistas pedem para que não seja lançado um alerta sobre a asparagina, uma vez que é difícil de evitar por estar presente em grande parte dos alimentos.

E o mais importante, é preciso confirmar os testes em humanos.

Ou seja, não vá a correr para a cozinha e deite fora todos os produtos com asparagina. Como os cientistas também recomendam, tenha uma alimentação saudável e esteja atento a possíveis sintomas.

  • Proposta criação de 77 mil empregos através de uma descida da TSU
    1:23
  • Governo enfrenta vaga de contestação
    2:35

    Economia

    O Governo enfrenta uma onda de contestação. Guardas prisionais, procuradores, professores, médicos e enfermeiros descontentes ameaçam com greves nos diferentes setores, já nos meses de março e abril.

  • 296 mortos em 2 dias de bombardeamentos em Ghouta Oriental
    2:16
  • Tiroteio na Florida foi o 18.º registado em meio escolar nos EUA desde janeiro
    1:25