sicnot

Perfil

Mundo

Diário de Ghouta: "Somos sem abrigo, perdemos tudo e estamos só à espera de perder a vida"

Diário de Ghouta: "Somos sem abrigo, perdemos tudo e estamos só à espera de perder a vida"

Exclusivo SIC

As forças do regime sirio continuam a ganhar terreno aos rebeldes e a vitimar civis. Escondidos em abrigos sem condições, e praticamente sem comida, os habitantes de Ghouta perderam a esperança. O relato é de Amin Hashem, feito em especial para a SIC.

  • "Não queremos ajuda. Precisamos, isso sim, que os bombardeamentos parem"
    2:22

    Mundo

    Amin Hashem é um dos quase 400 mil habitantes de Ghouta oriental para quem a vida se tornou uma luta diária pela sobrevivência. Nas últimas duas semanas perdeu dois familiares. Há uma semana que só sai do abrigo, que partilha com centenas de pessoas, para procurar comida para a família. O relato de Amin, num exclusivo para a SIC.

  • Faltam 71 obstetras no SNS e as férias vão agravar a situação
    2:32

    País

    Faltam 71 obstetras no Serviço Nacional de Saúde pelas contas da Ordem dos Médicos. Com o verão e as férias à porta, a Ordem alerta para a eventualidade de, nalgumas regiões, ser preciso transferir os partos mais complicados para unidades onde houver especialistas.

  • Combate ao terrorismo e corrupção são prioridades do novo diretor da PJ
    2:42

    País

    O novo diretor da Polícia Judiciária diz que o combate ao terrorismo e à corrupção estão entre as maiores prioridades para a PJ. Mas alerta que são precisos meios para cumprir essa missão. Luís Neves tomou posse esta manhã, depois de 20 anos ligados à investigação do crime mais violento.

  • Uma viagem pela Estrada Nacional 236
    2:52
  • A reconstrução depois da tragédia de Pedrógão
    2:43
  • Três mortos e mais de 200 feridos do sismo no Japão
    1:07

    Mundo

    Pelo menos três pessoas morreram e mais de 200 ficaram feridas na sequência de um sismo de magnitude 6,1 na escala de Richter que atingiu hoje a região oeste do Japão, segundo um novo balanço das autoridades nipónicas. Uma das vítimas mortais era uma criança de 9 anos.