Mundo

Ex-candidato à Casa Branca John McCain estável após operação

John McCain

Patrick Semansky

O ex-candidato republicano à Casa Branca John McCain, que luta há meses contra um tumor cerebral, foi operado no passado domingo e o seu "estado é estável", anunciou uma porta-voz.

O senador do Arizona, de 81 anos, foi operado em Phoenix, capital do sudoeste dos Estados Unidos, "para tratar uma infeção intestinal", disse Julie Tarallo, na segunda-feira, um dia após a cirurgia.

McCain luta desde o ano passado contra um glioblastoma, uma forma de tumor maligno no cérebro, que forçou o veterano da guerra do Vietname a reduzir a sua participação no Congresso.

Poucos dias depois de conhecer o diagnóstico, em julho, McCain atrasou o início do tratamento para votar, juntamente com outros dois republicanos, contra a derrogação do Obamacare, do ex-Presidente norte-americano Barack Obama, contrariando os planos de Donald Trump, que queria pôr fim à reforma na Saúde implementada pelo antecessor.

Candidato à presidência dos Estados Unidos em 2008, venceu a disputa pela vaga republicana com Mike Huckabee, Rudolph Giuliani e Mitt Romney.

Mais tarde, perdeu a corrida à Casa Branca para o vencedor das primárias do Partido Democrata, Barack Obama.

Prisioneiro de guerra no Vietname, John McCain foi eleito pela primeira vez para a Câmara dos Representantes em 1982. É senador desde 1987

Lusa

  • Marcelo assinala "passos importantes" na Cimeira da CPLP
    2:16
  • Manuel Pinho quer que inquérito do caso EDP seja atribuído a outros procuradores
    2:53

    País

    Manuel Pinho quer que o inquérito do caso EDP seja atribuído a outros procuradores. Numa carta enviada ao diretor do Departamento Central de Investigação e Ação Penal, a defesa do ex-ministro da Economia acusa os magistrados de imparcialidade, realçando como os procuradores do inquérito inviabilizaram as datas alternativas apresentadas pelo advogado.

  • "Os Maias" deixam de ser leitura obrigatória no secundário

    País

    Obras como "Os Maias" e "A Ilustre Casa de Ramires", de Eça de Queirós, vão deixar de ser de leitura obrigatória no ensino secundário a partir do próximo ano letivo. Os alunos deixam de ter indicação de uma obra específica para ler, passando o professor a escolher livremente uma obra de cada autor. O objetivo é fazer face aos programas extensos.

  • Santana diz que a concorrência é livre
    0:52

    País

    Santana Lopes sublinha que quer causar o menor dano possível ao PSD com a criação de um novo partido. O antigo primeiro-ministro diz no entanto que, apesar disso, a concorrência é livre. Isto depois de um estudo feito pela Eurosondagem mostrar que 4,8% dos inquiridos votaria num novo partido de Santana Lopes. O político diz que o número é inspirador, mas não adianta certezas sobre os próximos passos.

  • "Eu disse 'seria' quando queria dizer 'não seria'"
    1:34