Mundo

Jérôme Hamon é a primeira pessoa do mundo a receber dois transplantes de rosto

AP

Conhecido por "homem das três caras", Jérôme Hamon é a primeira pessoa do mundo a receber dois transplantes de rosto. O homem sofre de uma doença genética que o obrigou a fazer o primeiro transplante, que acabou por ter de ser retirado, levando-o à segunda cirurgia. O francês de 43 anos ficou dois meses sem rosto, sem conseguir ver, ouvir e falar.

AP

Jérôme Hamon sofre de neurofibromatose de tipo 1, uma doença genética que causa tumores severos na cara.

O homem de 43 anos recebeu o primeiro transplante em 2010, tendo sido um sucesso. Contudo, em 2015, apanhou uma constipação e teve de tomar antibióticos.

Segundo a BBC, os medicamentos eram incompatíveis com o tratamento que estava a receber para prevenir a rejeição do transplante. Os primeiros sinais apareceram em 2016 e, em novembro do ano passado, o rosto teve de ser removido, pois estava a entrar em estado de necrose.

Jérôme Hamon viveu sem rosto durante dois meses, num hospital em Paris. O homem ficou sem conseguir ver, falar ou ouvir até janeiro, altura em que foi encontrado um novo dador para o segundo transplante.

O "homens das três caras" confessou à France-Presse que se sentia bem e que estava esperançoso com a recuperação. "Se tivesse rejeitado este novo rosto, teria sido terrível. É uma questão de identidade... Mas aqui estamos, é bom, sou eu", disse o homem à agência francesa, a partir do hospital, onde está a recuperar.

O dador foi um jovem de 22 anos e a cirurgia foi conduziada pelo mesmo médico que fez o primeiro transplante. "Hoje sabemos que um segundo transplante é viável, já não estamos no campo da investigação", disse o médico Laurent Lantieri.

  • Viúva volta a tocar na cara do marido após transplante de sucesso

    Mundo

    Lilly Ross perdeu o marido, Calen Ross, em 2016, quando este decidiu por fim à vida. Este ano a viúva pode voltar a tocar na cara do marido, depois de um transplante de sucesso. Uma história que ninguém pensava que poderia ter um final feliz e que prova que a esperança é mesmo a última a morrer.

  • Bombeiro com transplante de face é considerado um "milagre da medicina"
    1:43

    Mundo

    Os médicos consideraram que foi um sucesso o maior transplante de rosto realizado em todo o mundo. A intervenção foi feita há um ano nos Estados Unidos e esta quinta-feira o paciente veio, pela primeira vez, a público dizer que nunca imaginou ser possível ter uma vida normal. O bombeiro de Missisípi é considerado "um milagre da medicina".

  • Transplante de rosto inédito realizado com sucesso nos EUA
    1:39

    Mundo

    O transplante de rosto mais extenso alguma na história da Medicina foi realizado com sucesso nos Estados Unidos. A cirurgia abrangeu rosto, pescoço, couro cabeludo e canais auditivos. A operação foi feita a um bombeiro que ficou com queimaduras graves durante o combate a um incêndio.

  • Ministério Público anulou interrogatório a Manuel Pinho
    3:13

    País

    O antigo ministro Manuel Pinho esteve esta manhã no DCIAP para ser interrogado a propósito das relações que manteve com o Grupo Espírito Santo e a EDP nos anos em que esteve no governo. No entanto a diligência ficou sem efeito a pedido do Ministério Público.

  • Crédito automóvel acelera
    1:05
  • Três feridos dos incêndios de outubro ainda continuam internados
    1:07

    País

    Continuam internadas três vítimas dos incêndios de outubro do ano passado, entre elas uma menor, de 12 anos, no Hospital Pediátrico de Coimbra. Os outros dois feridos estão no Centro de Reabilitação da Tocha. Nove meses depois, as vítimas dos fogos continuam a ser acompanhadas em consultas de cirurgia plástica, fisioterapia e reabilitação e a nível psicológico em centros de saúde e por equipas de saúde mental comunitária.

  • Marcelo confiante na "presidência inspiradora" de Cabo Verde na CPLP
    0:40

    País

    O Presidente da República português mostra-se muito confiante nesta nova fase que se abre à CPLP, com a nova presidência da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) que passa do Brasil para Cabo Verde. À SIC, Marcelo Rebelo de Sousa admitiu que, em Brasília, havia muitas questões pendentes mas agora há "um clima muito positivo entre os membros da CPLP, com maior peso na comunidade mundial".