sicnot

Perfil

Mundo

UE preocupada com crise económica que "afeta seriamente" a população da Venezuela

Handout .

A União Europeia (UE) manifestou-se esta quinta-feira preocupada com a crise económica que "afeta seriamente" a população da Venezuela, incluindo europeus que lá residem, e que resulta na imigração em massa, nomeadamente para o Brasil.

Segundo um comunicado do Serviço de Ação Externa, tutelado por Federica Mogherini, a UE vê com preocupação - e monitoriza em coordenação com a ONU e outras organizações internacionais - "o impacto social da crise económica que afeta seriamente a população, incluindo muitos cidadãos europeus residentes no país, e leva à atual migração em massa que está a levantar problemas às comunidades anfitriãs, particularmente na Colômbia e Brasil, e à estabilidade regional".

A UE reiterou o apoio às pessoas afetadas. Por outro lado, a UE considerou que "a recente decisão do Conselho Nacional Eleitoral de limitar a participação nas eleições locais e regionais aos partidos que apresentem candidatos às eleições presidenciais um duro golpe na credibilidade do processo".

Tal decisão, denuncia o Serviço de Ação Externa, "só irá exacerbar a polarização e criar mais obstáculos a uma solução pacífica".

O embaixador português em Caracas afirmou, na terça-feira, em Lisboa, que a comunidade portuguesa na Venezuela era "de classe média", mas agora vive "graves dificuldades", devido à crise económica naquele país..

"A grande maioria da nossa comunidade, em tempos, era classe média, e neste momento, devido à desvalorização da moeda, tem graves dificuldades", afirmou Carlos Sousa Amaro, embaixador em Caracas desde setembro passado, numa audição pelos deputados da comissão parlamentar de Negócios Estrangeiros e Comunidades Portuguesas.

Face à crise migratória, o governo do estado brasileiro de Roraima entrou com uma ação no Supremo Tribunal Federal pedindo o encerramento temporário na fronteira com a Venezuela, devido à vaga migratória, e recursos adicionais para responder à chegada de refugiados.

Desde 2016, mais de 50 mil venezuelanos cruzaram a fronteira do Brasil com a Venezuela e muitos destas pessoas ocupam abrigos já existentes ou dormem em tendas.

Lusa

  • Protesto contra a falta de medicamentos na Venezuela
    1:51

    Mundo

    Dezenas de pessoas manifestaram-se junto ao Ministério da Saúde, em Caracas, contra a escassez de remédios, que ronda os 90%, e exigem respostas do Governo da Venezuela. A União Europeia também manifestou, esta quinta-feira, preocupação com a crise económica que "afeta seriamente" a população da Venezuela, incluindo europeus que lá residem.

  • Governo português analisa alargamento de sanções à Venezuela
    1:05

    País

    O Governo português pondera alargar as sanções aplicadas à Venezuela. Em Bruxelas, o Secretário de Estado das Comunidades, José Luís Carneiro, disse estar disponível para discutir todas as opções que salvaguardem os cerca de 400 mil portugueses e lusodescendentes a viver na Venezuela.

  • Governo garante apoio à comunidade portuguesa na Venezuela
    2:48

    País

    O Governo garante que reforçou o apoio à comunidade portuguesa na Venezuela. Depois de o ex-secretário de Estado das comunidades José Cesário ter chamado a atenção, na quinta-feira, para a situação dramática de muitos emigrantes, o atual responsável, José Luís Carneiro garantiu ontem à noite que o Governo continua a implementar medidas para ajudar estes cidadãos.

  • Maduro recandidata-se às eleições antecipadas na Venezuela
    0:40

    Mundo

    O Presidente da Venezuela anunciou que vai recandidatar-se ao cargo nas eleições presidenciais antecipadas que deverão celebrar-se antes de maio. O anúncio foi feito durante um encontro com trabalhadores, transmitido pela televisão estatal. Nicolás Maduro já tinha dito que estava disposto a fazer tudo pelo Partido Socialista Unido e afirmou o desejo de conquistar 10 milhões de votos para cumpriri uma promessa feita ao anterior presidente, Hugo Chávez. Maduro Prometeu ainda a construção de cinco milhões de habitações e mais investimentos na economia, educação e obras públicas.

  • Venezuelano em chamas é a fotografia do ano

    Mundo

    O fotógrafo venezuelano Ronaldo Schemidt venceu esta quinta-feira o prémio de Fotografia do Ano de 2018 da World Press Photo, com a imagem de um manifestante em chamas durante os confrontos com as autoridades, num dos muitos protestos contra o Presidente Nicolás Maduro, na Venezuela.

  • Partido Podemos com votação inédita em Espanha
    1:32

    Mundo

    Há uma votação inédita em Espanha. O Podemos começou esta terça-feira a decidir a continuidade do líder do partido, depois de Pablo Iglesias e a companheira terem comprado uma casa de 600 mil euros.

  • Reclusos limpam Ria Formosa
    3:01

    País

    Alguns reclusos do estabelecimento prisional de Olhão estão pela segunda vez a limpar a ilha da Armona, na Ria Formosa. São homens que beneficiam de regime aberto e, em fim de cumprimento de pena, têm com este trabalho uma amostra da liberdade que tanto aguardam.

  • A maior obra de reconversão urbana em Portugal 20 anos depois
    3:47