Mundo

Coreia do Norte só avança para a cimeira com EUA se não for "unilateral"

Lucas Jackson

A Coreia do Norte afirmou hoje não estar interessada numa cimeira com os Estados Unidos, caso esta se reduza à "exigência unilateral" do desarmamento nuclear, horas depois de ter cancelado uma reunião com a vizinha do Sul.


O encontro marcado entre as Coreias foi cancelado esta manhã pela Coreia do Norte, que justificou a decisão com as manobras militares conjuntas de Seul e Washington.


Entretanto, o Ministério da Defesa sul-coreano garantiu que os exercícios militares vão continuar apesar da "reação irada" do Norte, uma vez que se destinam a melhorar as habilidades dos pilotos e "não são exercícios de ataque".


A irritação norte-coreana ameaça agora pôr em causa a histórica cimeira entre o líder norte-coreano, Kim Jong-un, e o Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, marcada para 12 junho em Singapura.


Em declarações oficiais, o vice-ministro dos Negócios Estrangeiros norte-coreano afirmou que a Coreia não tem qualquer interesse numa cimeira de "negociações unilaterais".


Kim Kye-gwan criticou os recentes comentários do conselheiro da Segurança Nacional de Trump, John Bolton, e de outras autoridades norte-americanas, sobre como o Norte devia seguir o "modelo líbio" de desarmamento nuclear e fornecer um "desmantelamento completo, verificável e irreversível".


O responsável também criticou outros comentários dos EUA, relativos ao abandono não apenas das armas nucleares e mísseis, mas também das armas biológicas e químicas.


"Não estamos interessados numa negociação que se reduza a levar-nos para uma esquina com a exigência unilateral de desistirmos das nossas armas nucleares, o que nos força a reconsiderar se avançamos mesmo com a cimeira entre a Coreia do Norte e os Estados Unidos", concluiu.


Kim Jong-un chegou ao poder semanas após a morte do ex-líder líbio Muammar Khadafi, pelas forças rebeldes aquando de uma revolta popular em outubro de 2011. Pyongyang usa frequentemente a morte de Khadafi como argumento para justificar o desenvolvimento nuclear diante das ameaças dos Estados Unidos.

Lusa

  • Anticiclone dos Açores afasta o verão de Portugal
    1:46

    País

    O verão vai continuar ameno em Portugal e, no início da próxima semana, as temperaturas máximas vão mesmo descer. Um cenário bem diferente do do norte da Europa, onde são as ondas de calor que estão a preocupar as autoridades. 

  • Ryanair prevê cancelamento de 50 voos diários em Portugal
    2:10

    Economia

    A Ryanair vai cancelar até 50 voos em Portugal durante os dois dias de greve, na próxima semana. A companhia irlandesa garante que já contactou 90% dos clientes com viagens marcadas de e para o país, que podem agora pedir o reembolso ou reagendar os voos.

  • Sócrates defende Pinho e critica Parlamento

    País

    José Sócrates saiu em defesa do seu antigo ministro da Economia, Manuel Pinho. Num artigo de opinião publicado no Expresso, o ex-primeiro-ministro aponta o dedo ao presidente do PSD e ao líder parlamentar do PS.

  • Volta ao Mundo em Arroios
    18:46
  • PP espanhol elege o líder mais jovem de sempre

    Mundo

    O novo presidente do Partido Popular (PP) espanhol, Pablo Casado, com 37 anos, é o líder mais jovem que este partido já teve na sua curta história, sendo visto por muitos como defensor da ala mais conservadora e tradicional.