sicnot

Perfil

Mundo

Yanny ou Laurel? É uma questão de ouvido

Jonathan Alcorn / Reuters

Há uma pequena palavra com duas sílabas a semear a discórdia pela Internet. O mundo divide-se agora em dois: aqueles que ouvem Yanny e os que ouvem Laurel.

É um mini excerto de áudio publicado originalmente no Reddit por um aluno do secundário do estado norte-americano da Geórgia. Roland Szabo, de 18 anos, conta que ficou muito intrigado quando uma palavra aparentemente insignificante desencadeou reações radicalmente diferentes nas pessoas que a ouviam à sua volta.

O jovem publicou o som no Instagram em forma de sondagem e rapidamente se tornou viral, muito com a ajuda de celebridades.

"Eu oiço Laurel", tweetou a humorista e apresentadora norte-americana Ellen DeGeneres. E nessa fação estão também a modelo Chrissy Teigen ou o antigo porta-voz da Casa Branca Sean Spicer.

O escritor Stephen King ou a atriz Mindy Kalling juntaram-se ao campo oposto. Mas poucas horas depois de afirmar que ouvia Yanny, King exclamava no Twitter: "Meu Deus, agora oiço Laurel".

O departamento de Defesa norte-americano brinca com a controvérsia publicando no Twitter uma foto de uma jovem recruta a ser recriminada pelo instrutor por ter ouvido Laurel em vez de Yanny.

O som da discórdia

O pequeno excerto de áudio que está a dividir o mundo em dois - como aconteceu, por exemplo, com a cor de um certo vestido - pode ser ouvido nesta publicação no Twitter:

Quem está certo e quem está errado?

"O universo de coisas a que estamos expostos altera a forma como tratamos a informação que chega ao nosso cérebro", explicou à AFP a professora Poppy Crum, perita dos laboratórios Dolby em São Francisco.

O cérebro precisa de "arrumar em categorias" os elementos ambíguos. Esse processo é influenciado por múltiplos parâmetros, de acordo com a idade, o sexo ou a língua nativa de quem escuta.

Este som em particular "não é verdadeiramente um termo do nosso discurso corrente. Quem o ouve, utiliza todos os seus conhecimentos adquiridos para o interpretar".

Razão pela qual ninguém está certo ou errado em ouvir Laurel ou Yanny.

  • A solução de Elon Musk para os engarrafamentos em Los Angeles
    1:23