Mundo

Escolas fechadas e voos cancelados com a aproximação de tufão a Taiwan

RITCHIE B. TONGO

Mais de 2.000 pessoas foram retiradas em Taiwan por causa do tufão Maria, que se aproxima da antiga Formosa, com previsão de chuvas torrenciais na ilha, onde centenas de escolas foram fechadas e voos acabaram por ser cancelados.

O tufão está a 200 quilómetros a leste da cidade costeira de Yilan, nordeste da ilha, com rajadas de vento de 173 quilómetros por hora registadas às 22:00 locais, 14:00 em Lisboa, indicou o serviço de meteorologia de Taiwan.

O impacto mais forte do tufão é esperado a partir da tarde desta terça até quarta-feira de manhã, com chuvas diluvianas que podem atingir 500 milímetros em certas zonas, segundo a mesma fonte.

As televisões locais exibiram imagens de soldados que, numa região montanhosa, procuraram ajudar os habitantes a deixar as suas casas.

"Ordenei já às tropas que estejam em prontidão" para levar o socorro, declarou o Presidente Tsai Ing-wen, na página pessoal na rede social Facebook, exortando os habitantes "a prepararem-se o mais possível" para a chegada do tufão.

As autoridades tomaram medidas contra possíveis inundações e deslizamentos de terreno.

O primeiro-ministro de Taiwan, William Lai, apelou às autoridades e aos habitantes a "estarem vigilantes" quanto ao primeiro tufão da época em Taiwan, pedindo que permaneçam em casa e cooperem com as autoridades.

Por precaução, escolas e escritórios fecharam esta terça-feira, após o meio-dia, em oito cidades, entre as quais Yilan, onde fortes vagas começaram a bater na costa, disseram as autoridades.

No setor do transporte aéreo, 175 voos internacionais e 118 voos internos foram anulados, de acordo com o centro de situações de urgência.

Taiwan é frequentemente assolada por tufões no verão. No ano passado, uma centena de pessoas ficaram feridas na passagem do tufão Nesat, que se abateu sobre a ilha, provocando inundações e importantes roturas de eletricidade.

Lusa

  • "Bebemos a água que escorria das rochas"

    Mundo

    Os 12 rapazes e o treinador que ficaram presos numa gruta na Tailândia durante 18 dias revelaram hoje alguns pormenores de como sobreviveram, na primeira conferência de imprensa.

  • Ora Eça!

    Opinião

    Eça, o meu conterrâneo que se definia como sendo "apenas um pobre homem da Póvoa de Varzim" não haveria de gostar de nada que fosse obrigatório. Durante décadas, Os Maias lá estiveram, quem sabe numa progressista lista pós-revolução, dada a natureza "sexual e incestuosa" da obra. Sai dessa lista agora. Claro que sai. "Ninguém" gostava de "ter de" ler Os Maias.

    Pedro Cruz

  • "Os Maias" deixam de ser leitura obrigatória no secundário

    País

    Obras como "Os Maias" e "A Ilustre Casa de Ramires", de Eça de Queirós, vão deixar de ser de leitura obrigatória no ensino secundário a partir do próximo ano letivo. Os alunos deixam de ter indicação de uma obra específica para ler, passando o professor a escolher livremente uma obra de cada autor. O objetivo é fazer face aos programas extensos.

  • Marcelo assinala "passos importantes" na Cimeira da CPLP
    2:16