Mundo

Mãe de cineasta ucraniano detido na Rússia apela ao perdão de Putin

Evgeny Feldman

A mãe do cineasta ucraniano, Oleg Sentsov, detido na Rússia e em greve de fome desde maio, pediu esta sexta-feira ao Presidente do país, Vladimir Putin, que concedesse um indulto ao seu filho.

Sentsov, que se exprimiu publicamente contra a anexação da Crimeia pela Rússia, em 2015, foi condenado a 20 anos de prisão por conspiração destinada a promover atos terroristas.

Lyudmila Sentsova, numa carta escrita no 42.º aniversário do filho, pediu ao Presidente russo que mostre misericórdia e perdoe o cineasta.

"Não vou tentar convencê-lo da inocência do meu filho, embora eu acredite nela. Digo simplesmente que ele não matou ninguém", escreveu Sentsova na carta publicada hoje pela estação de rádio liberal Ekho Moskvy.

Lembrando que os filhos de Sentsov "estão à espera dele", Sentsova pediu também a Putin para não estragar a vida do seu filho e dos seus familiares.

Segundo o advogado de Sentsov, o cineasta já perdeu 20 quilos e está em estado frágil, encontrando-se a receber vitaminas e outros nutrientes por via intravenosa.

O porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, afirmou que Putin irá considerar o apelo, mas avisou que não tem a certeza sobre a legalidade de um possível perdão, pois segundo a lei russa o Presidente só pode perdoar um condenado se for ele quem fez o pedido, o que Sentsov se recusou a fazer.

Lusa

  • Médicos nas prisões para rastrear e tratar reclusos com VIH e hepatites

    País

    Os médicos infeciologistas, gastrenterologistas e internistas vão passar a deslocar-se às prisões para cuidar dos reclusos infetados com VIH e hepatites B e C e vão realizar-se rastreios à entrada, durante e final da reclusão. Este modelo vai estar em vigor em 45 estabelecimentos prisionais do continente.

  • Gaza de novo à beira da guerra
    2:30